DA REDAÇÃO: Milho – Produtores finalizam a colheita da safrinha e produtividade média é de 100 sacas por hectare

Publicado em 21/08/2013 12:01 e atualizado em 21/08/2013 17:51
504 exibições
Milho: Em Campo Novo do Parecis (MT), produtores finalizam a colheita da safrinha. Produtividade média é de 100 sacas de milho por hectare. Preços seguem mais baixos e os produtores negociam o produto conforme os leilões de Pepro do Governo. Na região, a colheita do algodão está com 30 dias de atraso, em função das chuvas excessivas.

Na região de Campo Novo do Parecis (MT), os produtores finalizam a colheita do milho safrinha. O clima foi favorável ao desenvolvimento das lavouras e, em média, os agricultores colhem cerca de 100 sacas por hectare, equivalente a 6 mil quilos por alqueire. 

Diferentemente de outras regiões do estado, no município os produtores utilizaram os silos bag para armazenar a safra, de quase 800 mil toneladas do cereal, e não há milho a céu aberto. O gerente do Sindicato Rural da cidade, Antônio de La Bandeira, destaca que apesar de representar um custo adicional, a utilização dos silos é uma boa solução. 

Em contrapartida, a comercialização da produção segue em ritmo lento, em função dos baixos preços da saca do cereal. Os produtores têm negociado a safra conforme os leilões de Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor), dessa forma conseguem negociar a saca, em média, a R$ 13,40, acima do preço mínimo fixado para o estado de R$ 13,02 a saca.

“Hoje, a comercialização já atinge 50% da safra na região e boa parte graças aos leilões. As vendas para o mercado são raríssimas e quando acontecem, os produtores conseguem até R$ 10,90 pela saca, valor que não cobre os custos de produção”, afirma o gerente. 

Algodão – As chuvas excessivas atrasaram em mais de 30 dias a colheita da safra de algodão na região de Campo Novo do Parecis (MT). O gerente do sindicato sinaliza que as precipitações expressivas não afetaram a qualidade do algodão, mas sim a produtividade das lavouras.

“Produtores têm colhido em média entre 220 e 225 arrobas por hectare, uma produtividade baixa, devido à alta tecnologia empregada pelos agricultores. A situação é preocupante e temos até setembro para terminar a colheita, já que no dia 15 de setembro tem inicio o vazio sanitário no estado e não podemos deixar nenhum resíduo no solo”, finaliza Bandeira. 

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário