DA REDAÇÃO: Trigo – Excesso de chuvas pode comprometer a qualidade do cereal em Itapeva (SP)

Publicado em 23/09/2013 15:53 e atualizado em 23/09/2013 17:06
522 exibições
Trigo: Em Itapeva (SP), produtores paralisam a colheita do trigo em função do excesso de chuvas. Até o momento, cerca de 25% da área cultivada no município foi colhida. Precipitações podem favorecer o aparecimento de doenças nas lavouras. Produção já tem perda estimada de 30% na produtividade devido às geadas em julho.

Na região de Itapeva (SP), os produtores rurais paralisaram a colheita do trigo em função do excesso de chuvas registrada no final de semana. Em algumas localidades, ao redor do município houve queda de granizo e ventos fortes. Os possíveis prejuízos ainda serão levantados nos próximos dias.

As previsões climáticas indicam chuvas até amanhã (23) e nos próximos dias o tempo deve abrir na região. Entretanto, as precipitações devem retornar à cidade no próximo domingo (29). De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Dagoberto Mariano César, ainda é precoce estimar perdas na produtividade ou rentabilidade.

“Se o tempo limpar nos próximos dias, nós produtores teremos que ficar atentos para ver a umidade do grão e entrar com as máquinas para colher, pois vai ficar essa instabilidade chove e para. E isso, não é bom e pode afetar o grão que está em fase final de maturação e se manchar o grão pode depreciar o produto”, destaca o presidente.

Além disso, o ambiente úmido pode favorecer o aparecimento de fungos no grão, o que prejudicar a qualidade do produto final. Até o momento, cerca de 25% da área cultivada na região já foi colhida. A produção já tem perda estimada de 30% na produtividade devido às geadas registradas no mês de julho. 

Produção já tem perda estimada de 30% na produtividade devido às geadas em julho. Paralelo a esse cenário, os preços no mercado continuam firmes. Em Itapeva, a tonelada do cereal chega a ser negociada a R$ 800,00 e a saca a R$ 51,00.

“Se o tempo limpar essa semana e houver colheita, poderemos ter resultados positivos, caso contrário, teremos que aguardar para dimensionar as perdas. Esperamos que haja pelo menos um empate, para que não tenhamos prejuízos”, destaca Mariano.

Frente a essa situação, os produtores estão preocupados com o clima instável e com a proximidade da primavera, uma vez que, nesse período, a incidência de precipitações é maior.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário