DA REDAÇÃO: No aguardo da liberação de defensivos, produtor deve utilizar outros produtos para proteger lavoura da Helicoverpa

Publicado em 26/09/2013 13:15 e atualizado em 26/09/2013 15:59
485 exibições
Defesa Sanitária: Enquanto defensivos importados aguardam liberação no Senado, produtor deve usar os produtos que já estão disponíveis no mercado para fazer controle da Helicoverpa, além de fazer monitoramento constante através do manejo integrado de pragas. Lagartas adultas já têm atacado brotos de plantas de soja em lavouras recém plantadas da nova safra.

O projeto de lei que libera em caráter emergencial os defensivos para combate à Helicoverpa aguarda aprovação do Senado, mas, enquanto isso, o produtor deve utilizar os outros produtos que já estão disponíveis para proteger sua lavoura, como explica Wanderlei Dias Guerra, coordenador da Comissão de Defesa Vegetal da Superintendência Federal da Agricultura (SFA) em Mato Grosso, em entrevista para a segunda edição do programa Mercado & Cia., do Canal Rural.

O ideal é que o produtor indique a praga ainda com 1 cm de comprimento. Para isso, ele deve fazer monitoramento constante e o controle do manejo integrado de pragas, além de fazer constantemente a rotação de princípios ativos para eliminar todos os ciclos de pragas.

A preocupação com o ataque da praga na safra 2013/14 de soja de Mato Grosso se deu após a divulgação de uma imagem de uma propriedade em Campo Novo do Parecis, próxima à Sinop, onde a lagarta Helicoverpa atacava uma soja com 1cm de altura.

O benzoato de emamectina, defensivo que deve ser importado para conter os ataques, é utilizado desde 1999 na Austrália e pode trazer tranquilidade aos produtores brasileiros.

Por: João Batista Olivi // Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário