DA REDAÇÃO: Safra 2013/14 – Produtor aguarda chuvas para começar o plantio da soja em Chapadão do Sul (MS)

Publicado em 02/10/2013 10:14 e atualizado em 02/10/2013 16:21
320 exibições
Safra 2013/14: Chapadão do Sul (MS), produtor ainda aguarda chuvas com mais intensidade para iniciar o plantio da soja. A expectativa é que as precipitações cheguem ao município no próximo final de semana. Até o momento, cerca de 30% da safra já foi negociada antecipadamente, com preço médio de R$ 52,00 a saca.

Na região de Chapadão do Sul (MS), o produtor rural ainda aguarda as chuvas com mais intensidade para começar a semeadura da soja. Em torno de 80% do município, houve pequenas precipitações, cerca de 10 a 20 mm, insuficientes para iniciar o cultivo da soja, já que a terra está seca. As previsões climáticas apontam chuvas para o próximo final de semana.

A expectativa é que área cultivada com soja aumente na região, uma vez que os produtores de milho devem migrar para a semeadura da soja. Os agricultores da localidade têm preferido investir na oleaginosa, em função dos preços mais altos e dos baixos estoques, conforme destaca o presidente do Sindicato Rural da cidade, Rudimar Borgelt.

Os produtores têm aproveitado os bons preços da saca de soja e, até o momento, em torno de 30% da safra já foi comercializada antecipadamente, com preço médio de R$ 52,00 a saca. Para o presidente, essa cotação cobre os custos de produção, mas a preocupação é que esse valor ainda pode aumentar devido ao ataque das doenças e pragas, como a ferrugem asiática e a helicoverpa. 

“Creio que o produtor está preparado para lidar com a helicoverpa. Eles têm procurado informações, o único problema é que existem poucos produtos no mercado e são caros. O governo até liberou uma normativa liberando alguns produtos com urgência para combater a praga, mas se chegar rápido ao mercado, os produtores podem amenizar os prejuízos”, sinaliza Borgelt.

Além disso, a estimativa é que sejam colhidas entre 52 a 55 sacas de soja por hectare. Entretanto, o presidente destaca que os produtores devem estar atentos também aos problemas com doenças de final de ciclo, que podem prejudicar a produtividade média das lavouras. 

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário