ENTREVISTA: Confira a entrevista com Evaristo de Miranda - Pesquisador da Embrapa

Publicado em 25/03/2014 09:00 e atualizado em 25/03/2014 12:41 325 exibições
Agronegócio: Produtores devem buscar tecnologias que possam otimizar seus resultados e melhorar seu dia a dia, reduzindo os prejuízos com os riscos inevitáveis. Investimentos em armazenagem e irrigação são alguns exemplos.

O clima tem tido participação fundamental na formação de preços dos produtos agrícolas tanto no Brasil quanto no mundo. Diminuir os riscos climáticos e a maneira que esses riscos acabam afetando a produção de alimentos não tem sido uma tarefa fácil. Para o pesquisador daEmbrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo de Miranda, a questão da agricultura e do clima tem duas vertentes. Uma que tem cobrado a redução das emissões de gases estufas e redução do metano na pecuária, além de medidas para evitar o desmatamento. Essa vertente exige um posicionamento dos agricultores mas precisa  ser apoiada pelas pesquisas.

Mas para o pesquisador, a preocupação maior está em buscar alternativas para ajudar os agricultores a enfrentarem as incertezas climáticas. "Em resumo, eu diria que temos dois caminhos; o primeiro são políticas públicas, por exemplo, desenvolver a irrigação, irrigar com tecnologia , promover estudos de impacto ambiental, manejo de bacia.  Segundo é a eletrificação rural. Nós precisamos ampliar a eletrificação rural, ampliar a armazenagem na propriedade e mecanizar a agricultura tropical toda." Segundo Evaristo, "quem está mecanizado controla melhor a erva daninha, faz melhor a conservação de solo e de água. Então nós temos um conjunto de soluções que não são etérias ou hipóteses verificáveis. São coisas concretas que o governo precisa fazer."

Mas para o pesquisador, a adoção de tais medidas esbarra na burocracia. "Veja o caso da irrigação, as pessoas estão financiando  e bancando tudo e há um ano e meio esperando autorga de água. Hoje vc tem uma burocratização do processo inacreditável. A mesma coisa é o seguro rural, que precisa ser melhorado. Eu  tenho trabalhado na quantificação dos fenômenos de geada, de seca, etc... para que o seguro não seja tão caro e seja eficiente face ao imponderado climático."

Qual é a melhor  tecnologia frente à incerteza climática? Segundo Evaristo de Miranda, "depende do agricultor que é um investidor. Se ele assume risco, maximiza lucros, ele vai adensar o cultivo, vai irrigar, etc. Se ele precisa minimizar riscos,  vai adotar outras tecnologias no mesmo lugar e para a mesma cultura."

Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário