DA REDAÇÃO: Milho – Chuvas atrasam a colheita em Assis Chateaubriand (PR); produtividade deve ficar abaixo do esperado

Publicado em 18/06/2014 10:50 e atualizado em 18/06/2014 15:50 373 exibições
Milho: Em Assis Chateaubriand (PR), excesso de chuvas atrasa a colheita da safrinha. Além disso, com as precipitações há o aparecimento de grãos ardidos. Produtores esperam aumento na produtividade para 120 sacas por hectare, mas número deve ficar próximo da safra anterior, entre 95 a 100 scs/ha. Preços baixaram e giram em torno de R$ 20,00 a saca.

As chuvas excessivas têm atrasado a colheita da safrinha de milho na região de Assis Chateaubriand (PR). Além disso, com as precipitações, os produtores relatam o aparecimento de grãos ardidos e também os problemas com os grãos brotando na espiga. O tempo nublado prejudica a fotossíntese das plantas, que irão demorar mais para realizar a maturação.  

Segundo o produtor rural e engenheiro agrônomo, Emerson Luiz Betanin, as perdas com os grãos ardidos e grãos brotados são consideráveis, mas as perdas só conseguirão ser dimensionadas nos próximos 40 a 50 dias. A produtividade das lavouras também deverá ser afetada pelas precipitações em excesso.

No início da safra, a expectativa de colheita era de 120 sacas e milho por hectare, número superior ao registrado nas últimas safras, de 95 até 100 sacas por hectare. “Então, temos uma perda de 20%, mas acreditamos que o número deve fica próximo da média das últimas temporadas”, afirma Betanin.

Preços

Assim como em outras praças brasileiras, as cotações do milho também recuaram na localidade. Há 40 dias, os preços praticados eram de R$ 23,50 a saca, mas agora o valor é de R$ 20,00. “O valor ainda cobre os custos de produção, mas acreditamos que os produtores irão segurar o produto à espera de preços melhores. Porém, alguns terão que negociar, mesmo com preços mais baixos, para pagar as contas”, diz o engenheiro.

E, apesar do incentivo das cooperativas da região para a produção de milho, o engenheiro destaca que os produtores já têm buscado alternativas para safrinha do cereal. “A área destinada ao trigo aumentou nesta safra, assim como, safrinha de soja. Caso não haja uma mudança no cenário, a tendência é de redução na área destinada ao milho na segunda safra”, finaliza Betanin.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário