DA REDAÇÃO: Milho – No PR, produtores antecipam a colheita da safrinha para amenizar perdas com o excesso de chuvas

Publicado em 23/06/2014 10:50 e atualizado em 23/06/2014 13:55 470 exibições
Milho: No PR, produtores antecipam a colheita da safrinha para amenizar os prejuízos. Com excesso de chuvas, há relatos de grãos ardidos e situação pode afetar a produtividade das lavouras. Precipitações devem voltar ao estado na próxima quinta-feira (26). Preços giram em torno de R$ 19,00 a R$ 20,00.

Diante do excesso de chuvas, os produtores rurais do Paraná estão antecipando a colheita do milho safrinha para reduzir as perdas. Segundo o presidente da Aprosoja PR, José Eduardo Sismeiro, o objetivo é tirar o cereal das lavouras e diminuir os prejuízos ocasionados pelos grãos ardidos, que são descontados dos agricultores no momento da entrega nas cooperativas.

Além disso, com as precipitações o milho acaba brotando na espiga, situação que resulta em perdas na produtividade das plantações. Na safra anterior, os agricultores tiveram perdas entre 25% até 30% devido ao excesso de chuvas e nesta temporada, o presidente destaca que o número pode ficar próximo aos prejuízos do ano anterior.

“Por enquanto, as chuvas deram uma trégua, mas temos muitas nuvens, situação que também não é boa para as lavouras de milho. A grande preocupação é que as previsões climáticas apontam para chuvas já na próxima quinta-feira, que poderão agravar a situação”, afirma Sismeiro.

Preços

Assim como em outras regiões do país, os preços do cereal baixaram e são negociados entre R$ 19,00 a R$ 20,00 em Goioerê. Valor que irá remunerar o produtor, dependendo da produtividade das plantações, conforme sinaliza o presidente da Aprosoja PR.

“Se as chuvas persistirem, poderemos ter perdas mais expressivas e nas lavouras cultivadas mais tarde, o rendimento deve ficar entre 70 a 80 sacas por hectare e se tivermos preços menores e descontos no produto, situação que pode ocasionar um impacto negativo na rentabilidade do produtor”, acredita Sismeiro. 

Diante desse cenário, o presidente destaca que no próximo ano, se o trigo der mais segurança de rentabilidade aos produtores, a área destinada ao milho poderá diminuir, uma vez que os agricultores darão preferência para o trigo.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário