DA REDAÇÃO: Projeto Soja Brasil chega a sua terceira etapa

Publicado em 10/07/2014 13:18 e atualizado em 10/07/2014 16:23 177 exibições
Nas duas últimas safras, a Aprosoja constatou o crescimento da oferta de soja por conta do uso de uma melhor tecnologia, que atende a qualquer situação climática e de produtores em todo país. O custo de produção tem crescido e utilizar as tecnologias disponíveis pode diminuir os gastos e aumentar o rendimento das lavouras.

O Projeto Soja Brasil chega a sua terceira caravana com foco no aumento de produtividade para a próxima safra, que tem início do plantio em setembro. O grupo deverá percorrer todo o país, mostrando novas tecnologias de acordo com a situação de cada região e produtor. O consultor do projeto, Áureo Lantmann, conta que nas duas últimas safras foi possível perceber a grande oferta por tecnologia presente em todas as regiões do país.

Com os custos de produção crescendo a cada ano, a melhor maneira de obter lucratividade é com aumentando o rendimento das lavouras. Em regiões como em Mato Grosso, a produtividade não aumenta a 12 anos, em que a média chega a 50 sacas por hectares. No entanto, há produtores que conseguem a marca de 70 sacas por hectares, utilizando apenas tecnologia e manejo adequado.

Lantmann explica que os custos com adubação e fungicidas estão entre os maiores gastos da lavoura, por isso, é necessário realizar as aplicações de acordo com o MIP (Manejo Integrado de Pragas).  Assim os produtores conseguem reduzir o número de aplicações e aumentar o rendimento da safra. 

Segundo levantamento realizado na última caravana, a média de custos de produção no país é de 35 sacas por hectare, em que alguns tinham o gasto de 22 sacas por hectares, e outros atingiam a marca dos 48 sacas. Com a realização desta terceira etapa será possível oferecer a estes agricultores alternativas e variedades reduzam estes custos. 

0 comentário