DA REDAÇÃO: Soja - Queda nos preços futuros pode desestimular produtores em Chapadão do Sul (MS)

Publicado em 21/07/2014 10:35 e atualizado em 21/07/2014 15:55 639 exibições
Safra 2014/15: Em Chapadão do Sul (MS), produtores que ainda não compraram os pacotes podem reduzir os investimentos e a área destinada a soja devido aos preços mais baixos em Chicago. Colheita da safrinha de milho alcança 70% e preços estão mais baixos, em torno de R$ 15,00 a saca. Agricultor deve segurar o produto à espera de melhores oportunidades.

Na região de Chapadão do Sul (MS), os produtores rurais já se preparam para a nova safra de soja 2014/15. Inclusive, parte dos agricultores já fez a aquisição dos pacotes, mas quem ainda não realizou as compras está repensando o plantio da oleaginosa. A situação é decorrente dos preços mais baixos registrados na Bolsa de Chicago (CBOT), conforme destaca o presidente do Sindicato Rural do município, Rudimar Borgelt.

“Por enquanto, a expectativa é que haja uma redução na área destinada à cultura e, até mesmo, a diminuição dos investimentos em tecnologia. Porém, não temos muitas opções, talvez a pecuária pode ser uma boa alternativa ao agricultor, já que o milho e algodão também estão com cotações menores”, destaca o presidente.

Safrinha de milho

Enquanto isso, a colheita da segunda safra chega a 70% na região, com produtividade média entre 105 e 110 sacas do grão por hectare. O rendimento das plantações representa um incremento de 10% nesta safra, uma vez que o clima também foi favorável para o desenvolvimento da produção. 

Por outro lado, e assim como em outras regiões produtoras do país, as cotações do cereal recuaram de R$ 19,00 para R$ 15,00 ou R$ 15,50 na localidade. “E vemos um mercado exportador complicado pela frente, justamente pela queda na CBOT, o que nos deixa bem apreensivos”, explica Borgelt. 

E frente ao aumento nos custos de produção, especialmente devido ao ataque do percevejo barriga verde e marrom, a estratégia do produtor rural será segurar o produto à espera de melhores oportunidades, conforme destaca o presidente.  

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário