ENTREVISTA: Confira a entrevista com Stefan Tomkiw - Analista de mercado

Publicado em 27/08/2014 19:16 e atualizado em 28/08/2014 14:45 240 exibições
Soja: Os negócios estão parados no Brasil e nos Estados Unidos. Apenas o vencimento setembro registrou alta por conta da influência da entrega. Nas principais regiões produtoras americanas o clima permanece favorável com expectativa de chuva.

Em entrevista ao programa Mercado & Cia, apresentado por João Batista Olivi, o analista de mercado, Stefan Tomkiw, trouxe as informações sobre o mercado de soja direto de Nova York.

Na Bolsa de Chicago, os preços terminaram a sessão regular em campo misto, com o setembro subindo mais de 10 pontos e terminando os negócios a US$ 10,85 por bushel, enquanto as demais posições recuaram pouco mais de 3 pontos. Já no Brasil, o preço da saca recuou 0,79% e fechou em R$ 62,50 no Porto de Paranaguá, enquanto em Rio Grande houve um aumento de 1,59% para R$ 64,00.

“Tivemos mais uma sessão com volatilidade e entramos no período de entrega nesta sexta-feira que marca o final da safra velha e o período de transição entre um nível de estoque historicamente muito baixo e um cenário de safra nova com disponibilidade muito boa e consequente recomposição desses estoques”, disse Tomkiw.

De acordo com o analista, a medida das esmagadoras dos Estados Unidos em  oferecer dois dólares de margem, principalmente de farelo e grãos está melhorando o esmagamento. “Isso está trazendo algumas indústrias para o mercado. Na semana passada tivemos uma corrida para o mercado originar a soja e atender os compromissos até o final de setembro. Existia uma expectativa de ter disponibilidade de soja precoce para a segunda quinzena de setembro e essa perspectiva começou a arrefecer um pouco”.

Com relação às condições climáticas na região, a expectativa dos últimos dias não se confirmou e no momento não há nenhuma adversidade. “Existia um receio de padrão de clima mais úmido para região ao Sul do cinturão de produção, que é a região que já iniciou os trabalhos de colheita. E também existiam possibilidades de geada, mas essas previsões arrefeceram”, afirmou o analista.

Por:
João Batista Olivi // Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário