DA REDAÇÃO: Em São Gabriel do Oeste (MS), produtores aguardam chuvas para dar início ao plantio da soja

Publicado em 24/09/2014 10:30 e atualizado em 24/09/2014 15:49 202 exibições
Safra 2014/15: Em São Gabriel do Oeste (MS), produtores ainda esperam chuvas para dar início ao plantio da soja. Área destinada ao grão deve ser a mesma da temporada anterior. Já a comercialização antecipada da oleaginosa permanece lenta devido aos preços menores. No milho, cotação mais baixa também compromete negociação e deve refletir na intenção de plantio da próxima safrinha.

Apesar do término do vazio sanitário, no último dia 15 de setembro, os produtores rurais de São Gabriel do Oeste (MS) aguardam as chuvas para dar início ao plantio da soja. A expectativa é que as precipitações aconteçam ainda nesta quarta-feira no estado. Nesta safra, todo o chapadão será cultivado com a oleaginosa precoce e super precoce e a área deverá ser a mesma registrada em anos anteriores.

Em contrapartida, a comercialização antecipada da soja permanece lenta, assim como acontece em outras regiões do país. De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Júlio César Bortolini, os agricultores estão negociando em ritmo lento devido à recente queda observada nos preços.

“A negociação da soja está bem mais baixa do que anos anteriores. Até o momento, não fechamos nem 20% da produção, porém, há uns quinze dias, alguns produtores voltaram a realizar alguns negócios, para tentar segurar o milho nos armazéns. No cereal, o cenário também está difícil, uma vez que não temos compradores e os com os preços praticados não é possível fechar as contas”, explica Bortolini.

Milho

Para o milho, a comercialização também está lenta e, mesmo com 40% da produção sendo destinados ao consumo dos animais, os agricultores optaram por segurar o produto. “Os armazéns estão cheios, temos produto a céu aberto. E tivemos o leilão de Pepro, mas o índice arrematado foi baixo. Estamos tentando encarar um problema de cada vez e agora estamos focados no clima e o início do plantio da soja”, explica o presidente.

Consequentemente, esse cenário também tem desestimulado as compras dos produtos para a próxima safrinha. Com isso, a perspectiva inicial é que os agricultores optem por fazer a cobertura da área com crotalária. 

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário