DA REDAÇÃO: Trigo – Perdas na produtividade podem ultrapassar 40% na região de Três de Maio (RS) devido ao excesso de chuvas

Publicado em 14/10/2014 12:37 e atualizado em 14/10/2014 16:11 493 exibições
Trigo: Com excesso de chuvas, lavouras já apresentam perdas entre 30% a 40% na produtividade em Três de Maio (RS). E as previsões indicam mais precipitações nos próximos dias. Comercialização do produto segue travada na região e produtores aguardam leilão de Pepro. No milho, área cultivada registrou uma redução de 20%, devido aos preços mais baixos e altos custos de produção.

Na região de Três de Maio (RS), com o excesso de chuvas, as perdas na produtividade das lavouras de trigo podem ultrapassar 40%. Desde o início do plantio, os produtores enfrentam dificuldades devido às precipitações volumosas. E as previsões climáticas apontam que os volumes acumulados, desta terça-feira (14) até o final do mês, devem ser superiores a 150 mm.

E, além da preocupação com o clima, o engenheiro agrônomo do munícipio, Diego Henrique Uroda, destaca que, a comercialização do produto também deixa os produtores apreensivos. “O mercado está travado na região. E com o valor abaixo de R$ 27,00 pela saca, é difícil cobrir os custos de produção”, afirma.

Com isso, os triticultores aguardam o novo leilão de Pepro (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor). A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) irá realizar na próxima quinta-feira uma operação, o leilão não beneficia o estado do RS. “E também temos a liberação de alguns milhões, por parte dos bancos, para que as indústrias comprem esse produto. Precisamos de algum incentivo para que o produtor continue cultivando a cultura”, ressalta o engenheiro agrônomo.

Milho

No caso do cereal, a área cultivada nesta temporada registrou uma queda entre 20% até 30%, dependendo da microrregião. A situação é decorrente dos altos custos de produção e os preços do cereal mais baixos nesse momento. Na localidade, o milho é cotado a R$ 20,00, valor que não cobre os custos de produção. “Deveríamos ter um valor próximo de R$ 25,00 a saca”, diz Uroda.

Já a soja, deverá ser cultivada a partir do dia 15 de outubro, mas por enquanto, o clima não é uma preocupação dos produtores, conforme sinaliza o engenheiro agrônomo. “Até o momento, o que se desenha são condições climáticas favoráveis, porém, esse é um ano atípico e muito instável”, acredita.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário