EXCLUSIVO: Negócios do leilão de PEP de milho ficaram nas mãos das traders

Publicado em 27/05/2010 13:35 e atualizado em 27/05/2010 17:39
285 exibições
Leilão de PEP de milho: demanda alcança 70% da oferta, com premio reduzindo no Paraná, Goiás e norte do MT. Em outras praças sobraram contratos, pois o prêmio ficou aquém da necessidade do produtor.

 

Aconteceu hoje o primeiro leilão de Prêmio para Escoamento do Produto (PEP) de milho onde foi registrado o alcance de um volume de 70% da oferta do produto e prêmio reduzido no Paraná, Goiás e norte do Mato Grosso. Em outras praças sobraram contratos, pois o preço ficou aquém da necessidade do produtor.

Para João Birkhan, diretor da Centrogrãos, já era esperado que as traders entrassem no jogo como grandes compradores quando boa parte do milho já estava vendida a elas em função da relação de troca por insumos com produtores no Mato Grosso, porém, agora é possível que não adquirir mais produto de trabalhadores que não participaram deste leilão, pois não vão conseguir pagar o preço mínimo de R$ 13,98. Isso caracteriza os intermediários do leilão.

Situação final das regiões do MT

O Mato Grosso dividiu suas ofertas em seis regiões produtoras. Na primeira, abrangendo Sinop, Colíder e Castanheira, o prêmio caiu de R$ 6,84 para R$ 6,78, uma das regiões onde a oferta inicial era de 201 mil toneladas de milho teve que baixar sua oferta de prêmio para 165 mil toneladas.

Na região 2 (Lucas do Rio Verde e Sorriso) também houve uma grande concentração de negócio que partiu de um interesse inicial por 257 mil toneladas e fora totalizado a comercialização de 115 mil, com forte deságio no prêmio, de R$ 6,24 para R$ 5,59, cerca de 8% de queda.

Nas regiões 3 (Nova Mutum e Diamantino), 4 (Brasnorte) e 5 (Água Boa e Nova Xavantina, todo leste do estado), existiu menos oferta e, consequentemente, menor interesse de compra do prêmio, pois são regiões que não praticam troca de produto por insumo com as traders.

Na região 6 (Cáceres, Primavera do Leste e Rondonópolis), o prêmio girou muito abaixo, apenas R$ 2,64 para uma oferta de 125 mil toneladas, no final negociados menos de 50% do volume, cerca de 50 mil toneladas.

Outras praças

Em Goiás e no Paraná foram ofertados 180 e 120 mil toneladas respectivamente, onde 100% foi demandada, mas com deságio de quase 12% e 5% nessas praças. O prêmio de Goiás caiu de R$ 4,92 para R$ 4,35 e, no Paraná, de R$ 2,52 para R$ 2,40.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário