EXCLUSIVO: Cenário de preços e chuvas traz ânimo ao plantio do Mato Grosso

Publicado em 20/10/2010 14:13 e atualizado em 20/10/2010 18:05
1005 exibições
Em MT a explosão de preços não atingem a todos, pois muitos produtores venderam antes, perdendo a chance de aproveitar o momento excepcional vivido pela soja. Mas o entusiasmo está de volta ao centro-oeste do Brasil.

 

Os grãos atingem patamares de preços históricos no mercado internacional, enquanto que nesta semana as chuvas voltam com maior intensidade ao interior do Brasil, estimulando os produtores ao início do plantio das safras. Apesar da boa renda, muitos produtores comercializaram antes, no começo da subida das cotações.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Glauber Silveira, presidente da Aprosoja Brasil, comemora a boa fase de renda para o produtor mato-grossense que pode pagar e garantir novos investimentos para a sua atividade agrícola. Ele lembra que a agricultura brasileira é responsável pelo fator multiplicador de ganhos para a sociedade, ou seja, o campo gera empregos e impostos para o crescimento de melhor infra-estrutura para todo o país.

 

Início dos plantios

As chuvas aceleram o plantio das lavouras no Mato Grosso. Muitos produtores precisaram replantar as sementes jogadas na época do solo seco e o atraso do plantio traz de volta o planejamento inicial de cultivar a mesma área feita em 2009, já que não existe mais a janela para dividir a lavoura.

A safrinha de milho está então extremamente suscetível ao clima daqui para frente. Segundo Silveira, não é possível prever perdas, mas se não houver ameaças climáticas tão severas, indica uma produtividade boa para o produtor.

O conselho do presidente da Aprosoja é cautela. É preciso que o agricultor se concentre em sua produção a fim de colher em bom volume e aproveitar ainda mais os altos preços do mercado internacional.

Fonte: Redação NA

1 comentário

  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Volto a lembrar aos produtores de soja ,que estes preços tem a ver com a real escassês da soja.Os estoques que o usda divulga,se fossem verdade (63000 000ton)os preços seriam aqueles que a maioria dos analistas,previam,e nos aconselhavam a iniciar as vendas,abaixo de 9 U$ buchell,portanto o la nina ainda não influenciou.Quero ver como vão consertar este "furo".Eles não esperavam ,três eventos seguidos da familia NINO NINA.Só dá pra consertar estoques ( no papel) com grandes safras no campo.É como faziam comerciantes no passado com o arroz da cfp,contavam como estoque o que tinham já beneficiado,vendido,e consumido,torcendo por uma safra boa para repor,e quando não vinha safra boa a coisa pipocava.

    0