EXCLUSIVO: Arrozeiros do RS pedem posição do Governo no auxílio à comercialização das safras

Publicado em 25/10/2010 14:01 e atualizado em 25/10/2010 18:16
246 exibições
Arroz: preços estão R$1 abaixo do minimo, e produtores do Rio Grande do Sul aguardam nesta terça-feira posição do Governo no auxilio para a comercialização. Esperam que haja leilões de PEP, Prop e efetivação do Produsa.

 

A Federarroz (Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul) se reunirá em Brasília com os Ministérios da Agricultura (MAPA), do Planejamento e o do Desenvolvimento Agrário (MDA) nesta terça-feira para exigir do Governo uma posição no auxílio para comercialização. Após levantamento em 32 municípios do Estado, 29 recebe até R$ 1,00 abaixo do preço mínimo pela saca do arroz, R$ 24,88 ante R$ 25,80 do Governo.

<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

 

Os produtores do Rio Grande do Sul esperam uma ação imediata de R$ 50 milhões para movimentar 500 mil toneladas de arroz base casca através de PEP (Prêmio para Escoamento do Produto), R$ 50 milhões para trabalhar em 500 mil toneladas em Prop (Prêmio de Risco para Aquisição de Produto Agrícola), R$ 500 milhões em contratos de opções públicas para 500 mil toneladas do grão como na safra 2008/09 e efetivação do Produsa (Programa de Estímulo à Produção Agropecuária Sustentável). Também um volume de recurso para comercialização da safra 2010/11.

 

O presidente da Federarroz, Renato Rocha, lembra que são mais de 1 milhão de votos remanescentes das famílias arrozeiras do Estado ou 1% de toda a eleição. Esperamos aí mais um pouco de atenção de espaço pela representatividade que nós temos no contexto social e econômico da lavoura do Rio Grande do Sul, diz.

Fonte: Redação NA

Nenhum comentário