ENTREVISTA: Confira a entrevista com Rui Alberto Wolfart - Delegado da Aprosoja-MT

Publicado em 09/03/2011 19:57 836 exibições
Chuvas na colheita: o MT espera, apreensivo, mudanças no clima. Mas a meteorologia prevê mais 15 dias de chuvas para o centro-norte do MT. Com as perdas no campo, a estimativa de super-safra no Brasil deverá ser modificada...

1 comentário

  • Lucas Alexandre Pavani Jaboticabal - SP

    Produtores da região de São José do Rio Preto- SP e região de Araçatuba, já contabilizam prejuízo de 20% da produção devidos o excesso de chuva de 24 horas por dia.

    Soja que deveriam ser colhidas na semana do dia 21/02/11, está sem colher ate os dias de hoje e se encontram no campo com os grãos todos brotado nas vagens e continua chovendo.

    Se esse tempo se perdurar por mais alguns dias, muitas lavouras nem serão colhidas. Isto esta ocorrendo com a cultura da soja, que foi plantada em rotação com cultura de cana-de-açúcar, onde esta atrasando o plantio da cana, e muitas canas que foram plantadas tiveram o plantio perdido.

    Em relação ao mercado, acham que US$ 14 por bushel é um bom dinheiro para o produtor, isso seria se o dólar tivesse valor, mais o dólar hoje é dinheiro de pinga de baixa qualidade.

    Depois que a soja não estiver mais na mão do produtor é que todos vão ver o valor que ela terá, mais o produtor continuará sem renda, sem contar que os preços dos anos anteriores foram péssimos para os produtores.

    Esta acabando o tempo de controlar a inflação somente em cima do produtor, se querer controlar a inflação daqui por diante, terá que incentivar seriamente o produtor rural a ter renda.

    A China já comprou muita soja ate hoje, mas não tem só ela para comer, os estoques mundiais já estão com o alarme vermelho acesso.

    Faltam, açúcar, etanol, soja, milho, trigo, carnes, algodão e etc.

    Os governos que se cuidam, não olhar para a agricultura hoje será a causa de muita queda de governos no mundo todo e o governo brasileiro é um principal responsável, não adianta depois chorar o leite derramado.

    A respeito do código florestal brasileiro, nos produtores estamos envergonhados de sermos produtores, sendo que seria motivo de orgulho de poder alimentar a humanidade.

    Produzir sem cobrir custo de produção e sem lei ambiental onde qualquer promotor, juiz, cartórios e bancos exigem o que não existe e os produtores não tem direito de defesa jurídicas, tudo isso tem limite, e o limite é o que estamos vendo hoje os estoques zerados das commodities acima mencionados.

    0