EXCLUSIVA: Baixa oferta e demanda aquecida sustentam preços da mandioca

Publicado em 18/04/2011 12:09 e atualizado em 18/04/2011 17:38 423 exibições
Mandioca: agricultores que ainda tem matéria prima para negociar estão segurando o produto com intuito de aumentar os preços. Demanda está aquecida e aumento de oferta deve acontecer só a partir de maio.

Os preços da mandioca seguem bastante atrativos para o produtor. A pequena disponibilidade da raiz com mais de um ciclo e a demanda aquecida sustentam aos preços. Mesmo com preços remuneratórios, os agricultores que ainda tem matéria prima para negociar estão segurando o produto já que apostam em novas valorizações para os próximos períodos.

De acordo com o analista do Cepea, Fábio Isaias Felipe, em algumas regiões já acontece a colheita da mandioca "nova", aquela com menos de um ano. "Isso deve mudar um pouco o mercado. "Não que os preços vão cair significativamente, mas que pelo menos ficar próximos aos patamares atuais", diz.

Apesar da chegada da safra, o analista não acredita em oferta abundante. "A oferta deve ser igual ou menos que a do ano passado. Caso ocorra oferta em demasia, deve ser em casos isolados", acredita.

Neste momento, a indústria encontra uma certa dificuldade no processamento da raiz. A ociosidade industrial tem sido superior a 50% da capacidade instalada, com uma disputa entre as fecularias em si e entre fecularias e farinheiras. "A oferta atual tem sido curta para atender todas as empresas do setor", diz. O aumento da disponibilidade da raiz deve acontecer só a partir de maio.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário