EXCLUSIVO: Oferta de feijão carioca de melhor qualidade aumenta mas, ainda não pressiona preços

Publicado em 25/04/2011 12:42 e atualizado em 25/04/2011 14:42 600 exibições
Feijão: oferta de feijão carioca de melhor qualidade aumenta com início da colheita, mas ainda não é suficiente para pressionar negativamente as cotações.

A oferta de feijão de melhor qualidade aumenta com o início da colheita em algumas regiões produtoras de Goiás, Santa Catarina e Minas Gerais. O mercado também segue na expectativa pela entrada da segunda safra do Paraná, que deve ter início no final deste mês.

Os preços ao produtor se mantêm entre R$ 100,00  a R$ 110,00. O feijão nota 8 apresenta uma diferença de 30% a menos que o preço do grão de melhor qualidade. "Isso reflete a opção do consumidor de dar a preferência ao feijão branco, recém colhido na gôngola e isso acaba refletindo também no atacado, tanto que em São Paulo você tem um feijão nota 8 entre R$ 100,00 a R$ 105,00 e um feijão nota 9 e 10 chegando a ser vendido a 135 a 140 reais", explica Marcelo Luders da Correpar.

A expectativa é de que haja uma oferta de melhor qualidade nesta nova safra. Segundo Luders, se o volume ofertado for concentrado, há a possibilidade de pressão negativa sobre os preços, mas hoje isso não ocorre. " A oferta ainda não é suficiente para baixar os preços. Por enquanto ela está suprindo a demanda dos supermaercados e varejo, mas não ultrapassando a quantidade necessária para o momento", explica enfatizando que não há um desequilíbrio de oferta e demanda, motivo pelo qual o mercado está sendo mantido.

Já para o feijão preto, as importações da China ajudam a abastecer mercado e vários empacotadores saem das compras internas. Os preços continuam entre R$ 82,00 a R$ 85,00 aos importadores.

Por:
Aleksander Horta e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário