DA REDAÇÃO: China investe na infra-estrutura brasileira para atender demanda crescente

Publicado em 30/08/2011 14:05 e atualizado em 30/08/2011 17:16 657 exibições
Missão China: Aprosoja negocia acordos para investimentos em infraestrutura logística dos asiáticos no Brasil. Chineses aumentarão demanda mundial nos próximos 10 anos e grãos brasileiros ganham mais espaço no mundo.
Importação de milho brasileiro pela China e crescente demanda, que deve se intensificar ainda mais nos próximos 10 anos, motivam o país oriental a investir na estrutura, sobretudo, portuária do Brasil. Hoje, de tudo que a China importa, 15% é de origem brasileira.

A Aprosoja está negociando com a Câmara de Comércio do governo chinês, pensando em estratégias para o médio e longo prazo. O presidente da entidade, Glauber Silveira, tomou a iniciativa, pois entende que “o Brasil não dá conta de fazer essa logística”, diz.

Ele cita como exemplos algumas obras do PAC como a rodovia BR-163, que deveria estar finalizada neste ano, mas estará concluída somente em 2013. A ferrovia Centro-oeste é outra que deveria ser licitada em seu primeiro trecho ainda neste ano. Porém, “já foi jogada para o ano que vem. Nós viramos o país da prorrogação!”, afirma Glauber.

Glauber Silveira deve voltar à China para fechar os acordos. A data ainda está sendo definida, mas existem duas possibilidades: no dia 12, durante um fórum internacional na China, que ocorre todos os anos ou em um encontro de ministros, do dia 28 de outubro até 1º de novembro, que poderia levar representantes do congresso e governadores de estados.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Grande Glauber!!! Nosso reconhecimento e admiração a esse trabalho que vem sendo realizado pela Aprosoja. O Glauber está mexendo na ferida. O Brasil está nas mãos dos ambientalistas que nem estão para nosso desenvolvimento nem para o meio ambiente. Se tivessem para o meio ambiente estariam ao lado do Glauber defendendo a Hidrovia Teles Pires/Tapajós, Araguaia/Tocantins e Outras. Com relação a geração de energia, a ONU salienta que nos próximos 20/30 anos a América do Sul precisará duplicar sua geração de energia para atender a demanda. O que fazem os Ambientalistas? Tentam impedir de todas as maneiras a construção da Hidroelétrica de Belo Monte e Outras. Se os ambientalistas estivessem preocupados com emissão de gases de efeito estufa estariam ao lado do Glauber para impedir que a frota de caminhões e carretas emitissem milhares de toneladas de CO2 a mais entre Mato grosso e Paranaguá em favor das hidrovias. Mas nós queremos dizer ao Glauber que represente o Brasil nessas negociações com a China e aqui no Rio Grande do Sul estamos a disposição para fazer nossa parte e viabilizar todos os negócios que sejam bons para nós e para eles, que não seja um negócio só para a China.

    Abraços.

    Almir Rebelo

    0