DA REDAÇÃO: Analista prevê perdas de 10 milhões de toneladas na safra de soja norte-americana

Publicado em 01/09/2011 13:33 e atualizado em 01/09/2011 16:31 964 exibições
Soja: mercado em mais um dia de realização de lucros em Chicago, mas quebra na safra norte-americana sustentará patamar de preços elevados até meados de setembro. Produtor tem que aproveitar cenário para antecipar a comercialização e garantir renda.
O analista de mercado e representante da Chinatex, maior importadora de soja da China, Liones Severo, prevê que a quebra na safra da soja dos Estados Unidos seja de 10 milhões de toneladas. Esse volume corresponde à produção total do estado do Rio Grande do Sul. O país norte-americano deve produzir, assim, 80 milhões de toneladas da oleaginosa.

Em quatro ou cinco dias as tão aguardadas chuvas devem chegar às lavouras dos Estados Unidos, porém, em quantidades insuficientes para a recuperação da soja. “A lavoura americana continua sofrendo, precisa de chuvas imediatas no coração do meio oeste”, diz. No entanto, não há previsão de grandes chuvas para a região, sendo que, nos próximos 10 dias, elas cobrirão somente 25% dessa área.

 Até a primeira quinzena de setembro deve haver sustentação dos bons preços atuais. Após, com a entrada da colheita americana, que pode ter a maturação antecipada e os grãos diminuídos devido à falta de umidade, o mercado deve ficar pressionado.

Então, essa primeira quinzena é um período de grande oportunidade de venda, “setembro é um mês de altas, dentro do cenário histórico da soja”, afirma. Nos meses de dezembro e janeiro, pode ser que a cotação da oleaginosa bata o patamar dos US$ 15, mas, caso isso ocorra, deve ser “coisa muita rápida”, diz.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário