DA REDAÇÃO: Preços dos grãos são puxados por safras de concorrentes dos EUA

Publicado em 13/10/2011 13:29 e atualizado em 13/10/2011 18:17 248 exibições
Grãos: dados do USDA continuam pressionando as cotações do milho e do trigo que puxa para baixo a soja em Chicago nesta quinta-feira. Incremento nos estoques sinaliza que EUA tem concorrentes para atender a demanda mundial de grãos.
O Relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) divulgado nesta quarta-feira (12) foi, de um modo geral, positivo para os grãos. Apenas o fator estoque de milho causou impacto no mercado nesta quinta-feira. A constatação do Consultor da FCStone, Glauco Monte, é que a diminuição da exportação do cereal dos Estados Unidos não ocorreu em função de uma redução na demanda mundial. Na realidade, foi a competição com a safra de outros países, como Ucrânia e Rússia, que motivou isso.

A Ucrânia, inclusive, colheu em 2009 o volume de 10 milhões de toneladas de milho e colherá, neste ano, 21 milhões. A argentina também deve entrar com safra recorde do produto este ano. Do lado dos compradores, a China retornou ao mercado adquirindo 900 mil toneladas de milho, “isso abre caminho para novas compras”, diz Glauco.

Para ele, os preços devem oscilar em função de demanda, como ocorreu há alguns dias, quando a soja subiu 60 pontos com a entrada da China no mercado. “Ela comprou, elevou os preços; saiu, os preços voltaram um pouco”, afirma.

A recomendação ao produtor, portanto, é manter-se atento à demanda e aproveitar os momentos interessantes para fixar tanto soja quanto o milho “frente a um cenário financeiro turbulento que a gente tem”, define. Com relação aos problemas econômicos europeus, Glauco é esperançoso: “espero que a Europa se recupere; isso é importante não só para os grãos, mas para a maioria dos setores da economia”.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário