DA REDAÇÃO: Biodiesel deve ter maior adição de soja até 2014

Publicado em 19/10/2011 12:50 e atualizado em 19/10/2011 15:54 323 exibições
Mais de 280 congressistas se reúnem para formar a Frente Parlamentar do Biodiesel em Brasília. Grupo busca aumentar a adição de óleo de soja de 5% para 10% na composição do biocombustível até 2014 para garantir preservação ambiental e renda aos sojicultores brasileiros.

Após os fortes investimentos do Governo e do empresariado brasileiro para o avanço de tecnologias para o desenvolvimento do biodiesel, agora a atenção do Governo se volta para o consumo interno. Na noite desta quarta-feira, dia 19, será criada a Frente Parlamentar do Biodiesel, presidida pelo Deputado Federal Jerônimo Goergen (PP-RS) com o objetivo de aumentar a adição de soja de 5% (B5) para 10% (B10) no diesel.

De acordo com Goergen, a criação da Frente faz parte da segunda parte do projeto para o biodiesel brasileiro e sua maior função é dar sustentabilidade a este desenvolvimento. “O biodiesel tem características que vão desde a preservação ambiental até o aumento de renda para o produtor, além de gerar empregos no processo de industrialização. No entanto, ainda é preciso ampliar o consumo de forma que o consumidor tenha garantias em todos os elos da cadeia”, afirma o Deputado.

A Frente Parlamentar já nasce como uma das maiores do país, com 280 congressistas entre Deputados e Senadores. Segundo Goergen, a expectativa é que até 2014 o B10 seja uma realidade nacional e, em 2020, seja possível ter 20% de mistura no diesel. “O principal ponto dessa ampliação na mistura é que ela seja segura, que os investimentos tenham retorno e que o produtor tenha o ganho desta agregação de valor”, garante.

Além da soja, outras culturas serão utilizadas na mistura do biodiesel e a agricultura familiar terá grande importância, segundo o Deputado. “Vamos industrializar a matéria-prima aqui do que simplesmente mandar o grão para fora. Esse potencial nós temos e com esse apoio político que o setor ganha com certeza vamos ver ações para esse tão esperado crescimento”, conclui o parlamentar.

Por:
João Batista Olivi e Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário