DA REDAÇÃO: Leite brasileiro sofre concorrência desleal com países do Mercosul

Publicado em 27/10/2011 13:32 e atualizado em 27/10/2011 17:06 243 exibições
Leite: importação sobe mais de 104% nos últimos 9 meses e argentinos ainda querem elevar cota do Mercosul. Volume causa excedente na oferta para o Brasil, desestimulando o produtor já que preços caem muito. São mais de US$ 435 mi em produtores lácteos para o consumidor também pagar a conta.
Os preços do leite para o produtor têm sofrido com a pressão da concorrência do leite que entra pela Argentina e Uruguai, inclusive do produto em pó que vem da Nova Zelândia. O problema afeta o produtor que, nesta época do ano, já sofre com o aumento da oferta de leite.

Segundo o Cepea, de Setembro para Outubro, o preço caiu 0,5 centavo por litro, em média, e a tendência para o próximo mês é que a queda se mantenha. O valor médio pago ao produtor brasileiro caiu de 94 centavos para 85, uma redução de quase 10%.

Para tentar reverter essa situação, Marcelo Martins, superintendente da Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural ) de Goiás, foi até Buenos Aires, Argentina , pedir uma redução na cota de importação do leite. Porém, os argentinos não só recusaram a baixa da cota, como propuseram aumentá-la.  

Hoje, a cota é de 3,3 mil toneladas e a proposta de aumento elevaria a cota para 4,4 mil toneladas/mês nos próximos 12 meses. Isso pioraria o cenário, cujas importações dos primeiros 9 meses deste ano cresceram 104%. O saldo da balança comercial para o setor é o pior desde 2000, quando, contraditoriamente, foram aplicadas medidas de defesa comercial para proteger o mercado interno, “estamos retroagindo”, diz Marcelo Martins.

Do ponto de vista do consumidor, os picos de importação podem parecer à primeira vista benéficos, mas, num segundo momento, será danosa ao consumidor, já que o desestimulo a produção nacional elevaria os preços nas gôndolas.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário