DA REDAÇÃO: Para Heinen, adiamento da leitura do Código Florestal traz sensação de manobra política de protelação

Publicado em 17/11/2011 13:52 e atualizado em 17/11/2011 17:19 219 exibições
Código Florestal: com adiamento da leitura do texto do senador Jorge Viana pela Comissão do Meio Ambiente, produtores brasileiros (que esperam aprovação para legalizar sua atividade agrícola) têm sensação de que estão sendo “enrolados” mais uma vez.
O Consultor em Comercialização Telmo Heinen acompanha de perto a tramitação do Código Florestal no Senado Federal. Na visão dele, embora o adiamento da leitura do texto pela Comissão de Meio Ambiente da Casa não seja uma manobra política de protelação tácita, essa é a sensação que ficou para a sociedade.

A aparência de protelação é corroborada pela grande quantidade de emendas repetitivas entre si e em relação ao texto já aprovado. “É inadmissível que isso possa decorrer exclusivamente de desconhecimento; ou é para satisfazer uma entidade ou tem finalidade de tumultuar para gastar o tempo”, afirma Heinen.

Para ele, ainda é possível que o projeto seja sancionado neste ano, mas o risco de que isso só aconteça no próximo ano é forte. Nessa hipótese, o clima se tornaria desfavorável para a celeridade das votações, a começar pelas férias de final de ano, que causam arrefecimento do assunto. Depois, para retomá-lo seria difícil, já que alguns senadores serão substituídos por suplentes, que certamente pedirão vistas, atrasando o processo. Além disso, no Senado, sempre surgem outros assuntos mais relevantes, “sempre tem a bola da vez”, diz Heinen.

Por:
João Batista Olivi e Fernanda Cruz
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário