Ampliação da oferta de feijão pelos cultivos irrigados e a queda no consumo mudam dinâmica do mercado e pressionam preços

Publicado em 19/10/2018 13:23 e atualizado em 19/10/2018 15:33
927 exibições
Mesmo com 10 dias de chuvas atrapalhando andamento da colheita em SP, mercado do feijão não reage
Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE

Podcast

Entrevista com Marcelo Eduardo Lüders - Presidente do IBRAFE sobre o Mercado do Feijão

Download

 

LOGO nalogo

O presidente do IBRAFE, Marcelo Eduardo Lüders, conversou com o Notícias Agrícolas nesta sexta-feira (19) para destacar a evolução dos preços do feijão carioca no mercado brasileiro, bem como salientar algumas oportunidades de negócios para os produtores a nível mundial.

Mesmo com o excesso de chuvas que trouxe retração para as ofertas de feijão em São Paulo, não houve uma melhora nos preços, que ficaram entre R$105 a R$115. Agora, os produtores aguardam as plantas secarem para continuar a colheita.

Em Minas Gerais, ainda há feijões de escurecimento mais lento. Contudo, fica claro que o Brasil está produzindo mais feijão do que foi captado pelo IBGE.

Para Lüders, os produtores devem aproveitar momentos como este para ir a feiras, conhecer outros produtores e alternativas de consumo, a fim de diversificar suas produções em feijão e pulses. Isso traria uma perspectiva diferente, segundo ele.

Fora do país, o objetivo também é incentivar o consumo do feijão carioca, que não é conhecido por outras culturas.

Confira a entrevista completa com Lüders no vídeo acima

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário