Retrospectiva 2019: Peste Suína Africana na Ásia favorece crescimento do setor de granjeiros no Brasil

Publicado em 03/01/2020 10:18
928 exibições
Retrospectiva Granjeiros com Letícia Guimarães - Jornalista
Letícia Guimarães - Jornalista

Podcast

Retrospectiva Granjeiros com Letícia Guimarães - Jornalista

Download

LOGO nalogo

De forma geral, o ano de 2019 foi positivo para o setor de granjeiros no Brasil. Depois de quatro anos desafiadores para a área, este ano se encerra com estabilização para o produtor e a capacidade de colocar a casa em ordem, pagando dívidas, investindo em infraestrutura e fazendo caixa.

>> Peste suína na China faz setor de carnes do Brasil viver bonança após tempestade

O bom momento para o granjeiro brasileiro, entretanto, veio devido às massivas perdas dos suinocultores chineses, atingidos pelo surto de Peste Suína Africana que dizimou 55% dos plantéis do país asiático, de acordo com estimativa do Rabobank feita este mês.

>> PSA: plantéis chineses devem crescer até 8% ano que vem; importações continuarão aquecidas

Com as perdas na China, foi necessário que o país passasse a importar mais proteínas animais de outras nações, o que representou este ano uma excelente oportunidade ao produtor de suínos, aves e bovinos. 

>> Suínos: exportações brasileiras aumentaram 12% no mês de setembro em relação a 2018

O Brasil passou a ser o 4º maior exportador de carne suína para a China, que representa o maior comprador da proteína para nós, com crescimento de 51% de janeiro a novembro deste ano, em relação ao ano passado, e com aumento de 28% no caso da carne de frango. 

>> Exportações de suínos aumentam 14,5% e de frango, 2,4%; China domina volumes embarcados

Os granjeiros e a agroindústria brasileira também foram beneficiados com a habilitação de mais plantas aptas a exportar produtos para países como a China, Coreia do Sul e Arábia Saudita, fortalecendo o setor internamente e ampliando o mercado externo.

>> ABPA confirma desabilitação de frigoríficos por sauditas; 25 ainda podem exportar

>> ABPA comemora habilitação de nove frigoríficos de aves e de suínos para a Coreia do Sul

>> Após reunião em Pequim, Brasil espera habilitação de 78 frigoríficos

>> Santa Catarina tem sete frigoríficos habilitados a exportar subprodutos de suínos para China

>> Carnes: Novas habilitações de exportação para a China potencializam ainda mais exportações do Brasil

Os preços no mercado interno também ficaram melhores para o granjeiro, que viu, em novembro deste ano, o valor do suíno vivo atingir recorde nominal nas principais praças produtoras do país, de acordo com as análises do Cepea. O aumento foi causado pela oferta reduzida de animais para abate e a boa demanda interna e externa, além do fato do preço recorde da carcaça bovina casada, que puxou o consumo da proteína concorrente.

>> Suínos: preços atingem recordes nominais

>> Suínos: Valor do suíno registra maior média real desde dez/17

>> Produtor independente de suínos também desfruta do bom momento para o mercado da suínocultura​

A mesma situação foi vista no caso dos frangos logo no começo do ano, com poucos animais para serem abatidos, depois de uma redução de produção pelo avicultor em 2018, e bom ritmo de embarque para o mercado externo, fazendo os preços da ave subirem. A carne da ave passou a ter preço mais competitivo frente à proteína suína e bovina.

>> Frango: Exportação elevada impulsiona preços domésticos

>> Frango: Com maior liquidez, preço da asa atinge recorde

>> Frango: Exportações aquecidas diminui oferta interna e eleva preços

Se no começo do ano o avicultor e suínocultor não tinham preços tão elevados para seus produtos, eles também não enfrentavam uma alta expressiva nos custos de produção. Entretanto, com o passar dos meses e a valorização da soja e do milho, principais componentes da alimentação dos animais, os custos de produção aumentaram. No caso dos suínos, a alta valorização do produto ainda garantiu ao produtor uma boa margem de lucro.

>> Custos de produção de suínos e frangos de corte caem em fevereiro

>> Frango: Preço do milho cai e favorece poder de compra do avicultor

>> Custo de produção do frango aumenta e atinge o maior nível em 10 meses

>> Custo de produção do frango alcança, nominalmente, o terceiro maior valor da história

>> Margem de lucro na suinocultura faz frente ao aumento de custos de produção

 

Tags:
Por: Letícia Guimarães
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário