Trigo recua no mercado internacional e pressão de entrada de safra no Brasil começa a derrubar cotações no mercado interno

Publicado em 26/08/2016 18:01
1031 exibições
Antecipar as vendas do trigo pode ser uma boa alternativa. Resta saber se os compradores estariam interessados em fazer a operação

1 comentário

  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    TRIGO: Esta novela já nos é conhecida, não é a primeira vez que é reprisada, reprisada e reprisada! Antecipar a venda, ou fazer o famoso contrato, foi interessante quando os preços estavam na casa dos quarenta e cinco reais! E tem mais, em 2013 no mês de julho o trigo valia quarenta e dois reais, e naquele 24 de julho a geada veio e levou embora a nossa esperança de ganhar alguns trocados. É bom que saibam que quem faz contratos com trigo, em algumas situações o produtor assume um risco, o risco de não colher e ter que cumprir o tratado, e ai, como fica se não tem o que entregar? Este ano arrisquei e fiz 3.000 sacas a quarenta e três e quarenta e cinco reais, destas 2.000, colha ou não, terei que cumprir o contrato! Existe junto a alguns moinhos a opção de contrato aberto, ou seja, se não colher por algum motivo generalizado; geadas, chuvas ou o que for, não se é obrigado a entregar. Trigo a quarenta e dois reais é um absurdo, a unica coisa que pode salvar é a produtividade, caso contrário é trocar seis por cinco! Em mundo onde a comida pode vir a faltar, insultar a inteligência dos produtores é dar um tiro em cada pé, uma situação que beira a anencefalia. É bom sempre lembrar que nós agricultores podemos passar sem muitas coisas dos grandes centros, mas os grandes centros por mais evoluídos que sejam, ainda assim não podem abrir mão das nossas produções! Ninguém come dólar, ouro, ações, carro ou qualquer outra coisa fabricada que não tenha como base os produtos agrícolas. E a banda segue, toca mas não entoa nada que preste!

    0
    • RUBENSON ANTÔNIO ASSINCKSANTA BÁRBARA DO SUL - RS

      Trigo não vale a pena plantar. O custo de 01 ha de trigo é o mesmo de 01 ha de soja. Vocês venderiam a soja a $40,00 ou menos? Não, então porque plantar trigo nesse preço? E essa história de que temos que plantar trigo para otimizar o maquinário, é conversa de quem NÃO planta trigo. Máquina parada não tem desgaste. Eu já parei a dois anos. Encho tudo com aveia preta, e faço uma boa cobertura de solo.

      1
    • GEOVANI SALVETTIUBIRATÃ - PR

      Falou tudo o amigo Ângelo Miquelão de Apucarana...É isso que penso também...

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Sr Angelo talvez seja o caso de formar cooperativas com moinho proprio.

      0
    • VILSON AMBROZICHAPADINHA - MA

      Sr. Carlos Michelon, matou a charada. As Cooperativas do Pr não querem trigo. Querem milho. Porén o trigo beneficiado

      0
    • MARCELO DE BACOVIAMÃO - RS

      Boa tarde! Concordo em boa parte dos comentários do Sr. Ângelo, mas estamos falando de mercado, livre concorrência e isto afeta todas as atividades, morangos, tomates, alface, leite, arroz...todo o agro e todo o resto. Tenho sido uma voz nas reuniões pedindo que as pessoas lembrem do trigo antes que ele esteja na altura da cintura, que tenhamos um planejamento estratégico para produtos estratégicos. Na minha opinião alimentos são estratégicos, especialmente aqueles que vão diretamente para a mesa das pessoas. O que ocorre, via de regra, é que a intervenção estatal como aquisições, resultam em estoques comprometidos ou desviados. O governo acaba vendendo politicamente e não estrategicamente. Quando temos instrumentos de comercialização, os setores sentem-se prejudicados, de um lado os produtores alegando que não recebem o combinado e de outro as empresas que não recebem no prazo combinado e isto vai gerando gatilhos nos preços das operações. A situação é mais frustrante quando o mercado cai, mas e quando o mercado pagou R$1000,00/ton de trigo? alguém socorreu a indústria? quando os preços dos produtos agrícolas sobem muito...qual a proteção que a sociedade tem? é neste ponto que o setor está frágil. No Brasil somente 10% da renda é destinada para alimentação, então existe ainda um espaço para que as pessoas cortem outros gastos antes de racionar os alimentos mais caros. Agradeço os comentários, sempre é bom poder compartilhar as experiências em alto nível! Obrigado! Marcelo De Baco.

      1
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Pimenta nos olhos dos outros e' referesco.

      0