Laranja: Oferta menor mantém preços firmes no pico da colheita

Publicado em 24/08/2018 10:52 e atualizado em 24/08/2018 14:51
639 exibições
Clima irregular afetou a produção nesta temporada. Produtores colhem a laranja pera e variedades tardias serão colhidas a partir de setembro. Caixa de 40,8 quilos é cotada a R$ 24,00 na indústria e próxima de R$ 30,00, no mercado de mesa. Alguns pomares paulistas já registram florada. Perspectiva é de recuperação na safra da Flórida nesta temporada.
Fernanda Geraldini - Analista Mercado Cepea

Podcast

Entrevista com Fernanda Geraldini - Analista Mercado Cepea sobre o Acompanhamento de safra da Laranja

Download

LOGO nalogo

A oferta reduzida nesta temporada tem dado suporte aos preços da laranja pera no pico da colheita em São Paulo. Atualmente, a caixa de 40,8 quilos é negociada a R$ 24,00 nas indústrias e o mercado de mesa paga valor acima de R$ 30,00 a caixa. Assim como em outras culturas, o clima irregular também afetou a produção paulista.

Para a safra 2018/19, a projeção do Fundecitrus é que sejam colhidas 288,29 milhões de caixas da fruta no cinturão citrícola de São Paulo e no Triângulo/Sudoeste Mineiro. Embora a falta de chuvas dos últimos meses possa ter deixado as frutas menores, cenário que se confirmado, pode impactar negativamente nessa projeção, conforme explica a analista de mercado do Cepea, Fernanda Geraldini.

"A principal variedade que apresentou perdas é a pera. Inclusive, antes das chuvas, no início de agosto, a qualidade estava bem complicada, tínhamos frutas murchas e miúdas. E com o retorno das precipitações esse cenário foi amenizado", afirma Fernanda.

Ainda na visão da especialista, em meio a oferta menor e os preços mais altos, o que vai determinar a receita dos citricultores nesta temporada é o custo de produção. "Isso porque o produtor tem um volume menor de produto para negociar", completa.

Demanda

Fernanda ainda reforça que a demanda está relativamente controlada no Brasil, apesar do período de inverno. Para os próximos meses, a expectativa é de elevação na demanda devido à elevação nas temperaturas.

"No caso do suco de laranja, a demanda permanece firme. Isso porque, após de consecutivos de prejuízos na safra, os EUA têm tido maior interesse pelo produto brasileiro", disse Fernanda.

Floradas

Alguns pomares, especialmente no norte de São Paulo, já abriram flores. Esse é um fator importante e que está no foco dos produtores.

Flórida

Após problemas com o greening e a passagem do Furacão Irma no ano anterior, a perspectiva é de recuperação na safra de laranja na Flórida. As primeiras projeções indicam uma produção ao redor de 77 milhões de caixas, bem acima do colhido no ciclo passado, de 45 milhões de caixas.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário