Com 1,7% de ganho na fazenda em janeiro e pequena ajuda do clima, leite segue tendência de menor captação nas regiões produtoras

Publicado em 04/02/2019 10:43 e atualizado em 04/02/2019 14:14
974 exibições
A baixa na captação foi de 2,2%. Alta para o produtor chega depois de 4 meses de baixa e seguirá tendência até abril. Custo de produção também se refletiu na produção leiteira.
Rafael Ribeiro de Lima - Zootecnista - Scot Consultoria

Podcast

Entrevista com Rafael Ribeiro de Lima - Zootecnista - Scot Consultoria sobre o Mercado do Leite

Download

LOGO nalogo

O preço pago ao produtor pelo leite registrou alta de 1,7% em janeiro, após fechar os últimos quatro meses de 2018 apresentando baixa. “É uma notícia positiva em um mercado um pouco mais concorrido entre as indústrias, já com a queda na curva de produção. No mês de dezembro já víamos um recuo no volume de leite capotado pelas indústrias e a tomada de concorrência dando suspenção aos preços agora em janeiro”, conta Rafael Ribeiro de Lima, analista da Scot Consultoria.

Segundo o analista, a tendência é que esse aumento siga aparecendo nos preços do leite pelo menos até o mês de abril, empurrados pelas condições climáticas adversas nas principias regiões produtoras.

"Nós trabalhamos com o cenário de preços em alta para o produtor no curto prazo. Nos estados do Sul do Brasil temos uma produção dando uma aumentada a partir de abril e maio, e até lá, a gente tem essa oferta um pouco mais estável podendo eventualmente até cair. Então a expectativa é de alta para os pagamentos fevereiro, março e abril com esse cenário de preços para o produtor no curto prazo nas principais bacias leiteiras", explica de Lima. 

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por Giovanni Lorenzon e Guilherme Dorigatti
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário