Porto de Santana, no Amapá, embarca primeiro navio de soja

Publicado em 08/09/2016 13:33 e atualizado em 09/09/2016 10:27
4741 exibições
Em torno de 25 mil toneladas do grão foram embarcadas. Custos com logística aos produtores do estado deverão recuar de R$ 12,00 por saca para R$ 3,00 por tonelada. Nova estrutura também deverá atender agricultores do norte de MT e de outros estados da região Norte do Brasil. Amapá planta em torno de 14 mil hectares com soja, mas tem potencial para 1 milhão de hectares.

A primeira exportação de soja via porto de Santana, no Amapá, aconteceu nesta quinta-feira (8). O embarque levou cerca de 25 mil toneladas do produto, partindo do porto da Companhia Docas de Santana para a Rotterdam, na Holanda.

Através do Porto os produtores do estado poderão comercializar os grãos produzidos, diretamente para outros países. O Amapá tem uma recente produção da oleaginosa que começou em 2012 em uma área de 2 mil hectares que se expandiu para 14 mil na safra 2015/16.

De acordo com o presidente da Aprosoja Amapá, Daniel Sebben, o processo de exportação da soja "mudará toda a dinâmica de produção no estado".

Atualmente o estado possui 1 milhão de hectares do cerrado, dos quais [segundo Embrapa] 400 mil hectares tem aptidão agrícola. Para Sebben, com a nova possibilidade logística a produção de soja poderá alcançar no futuro 1,5 milhão de toneladas. Na safra 2016/17 a expectativa da Aprosoja é de que o estado cultive 21 mil hectares.

Com a nova possibilidade de escoamento, os agricultores também serão beneficiados com a redução nos custos, saindo de R$ 12,00 por saca para R$ 3,00 por tonelada.

Além disso, a intenção do setor é movimentar pelo menos R$ 2 bilhões por ano, em uma década. A ativação do Porto de Santana, no entanto, "faz parte de um projeto que envolve escoamento do grão pela BR 163, embarcando no terminal hidroviário em Miritituba (PA), para então seguir em navegação até o município de Santana", explica.

O projeto logístico foi desenvolvido para atender a produção de grãos do norte do Mato Grosso [que era em sua maioria escoada pelos sistemas no sul e sudeste]. "O Amapá, porém, pegou uma carona nessa estrutura logística que veio inicialmente para atender o Mato Grosso", conta o presidente da Associação.

Atualmente o estado possui uma janela de produção diferente de outros estados, cultivando a soja entre março e abril, para realizar a colher entre os meses de julho e agosto. Porém, "com o funcionamento do Porto abre-se também a possibilidade de fazer safra e safrinha no estado", acrescenta Sebben.

Confira fotos e vídeos do primeiro embarque de soja no Porto de Santana (AM):

A primeira exportação de soja via porto de Santana, no Amapá

A primeira exportação de soja via porto de Santana, no Amapá

A primeira exportação de soja via porto de Santana, no Amapá

A primeira exportação de soja via porto de Santana, no Amapá

Por: Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

4 comentários

  • Eduardo Ferraz Pacheco de Castro Cuiabá - MT

    Muito boa notícia para o Amapá, e principalmente para o Brasil!

    1
  • Eduardo Figueiredo Santana de Parnaíba - SP

    Parabens Daniel !!!
    Ano passado estavamos juntos na operacao de guerra para os embarques via container para barcarena-PA !!!

    Fico feliz que se tenha mudado da agua para o vinho com o carregamento de soja a granel do 1o. Navio para exportacao partindo do porto de Santana-AP.

    Felicitacoes a todos os produtores do AP que apos muita luta tiveram o objetivo em 100% !!!

    2
  • Vitor Manzano Trabachin Sapezal - MT

    Parabéns Daniel!!!
    Excelente explanação sobre a grande vitória dos produtores do Amapá com o porto de Santana.
    A Aprosoja Amapá está muito bem representada por você meu amigo!
    Grande Abraço e sucesso!

    1
  • Eduardo Lima Porto Porto Alegre - RS

    Excelente Entrevista! Parabéns ao Daniel Sebben pela ótima exposição que demonstrou sólido conhecimento de comercialização. Me parece que sob uma liderança desse nível, não irá demorar muito para que o Amapá entre efetivamente no Mapa do setor. Não há limite geográfico para o Produtor-Empreendedor, basta o Estado não atrapalhar o trabalho de gente assim que a geração de riqueza ocorrerá em lugares onde até hoje só vigorou a Miséria e o Atraso.

    1
    • FABIANO DALL ASTACANARANA - MT

      Conheci também o estado do Amapa. Tem um potencial enorme pra agricultura , terras um pouco superiores em comparaçao a Roraima e um clima mais chuvoso. O grande problema é a falta de documentaçao das terras.

      5
    • FABIANO DALL ASTACANARANA - MT

      Mas a Dilma passouvas terras para o estado ( na tentativa de comprar mais deputados na votaçao do impeachment ) , mas ainda esta tudo parado.

      8
    • OVID DUNCANFORTALEZA - CE

      Parabens Daniel,vender para UE "NO GMO" porta a pota a 30dd consumidor final dever meta euro 430,00 p/MT

      1
    • FABIANO DALL ASTACANARANA - MT

      PRA resumir e pra que eu possa entender , qual o preço para produtor no porto ??

      1
    • OVID DUNCANFORTALEZA - CE

      Euro 430,00p/MT so posto fabrica a 30 dias,NO GMO porta/porta ver BUNGE YBERICA o CARGIL - investidor bem vindo 34 658 663 59

      0