Nuvem de poeira cobre a BR 163 no Pará e mostra que nada mudou desde o último período de chuva quando a lama foi o problema

Publicado em 03/07/2018 13:44 e atualizado em 04/07/2018 10:37
2495 exibições
Trânsito intenso e falta de chuvas evidenciam as péssimas condições da BR-163. Asfaltamento pode ficar só na promessa
Alexandre Ivan Quoss - Produtor Rural de Mojuí de Campos - PA

Podcast

Entrevista com Alexandre Ivan Quoss - Produtor Rural de Mojuí de Campos - PA sobre a nuvem de Poeira que cobre a BR 163 no Pará

Download

 

LOGO nalogo

Nesta terça-feira (03), o produtor rural Alexandre Ivan Quoss, de Mojuí de Campos (PA), conversou com o Notícias Agrícolas sobre uma situação crítica que se repete todos os anos na BR-163, quando a falta de chuvas e a movimentação intensa traz condições ruins para os motoristas.

A situação, de extrema periculosidade, foi filmada por Quoss. Há poeira e falta de visibilidade por conta do tráfego de carretas. As estradas não possuem acostamento, sendo possível o trânsito apenas por uma única via.

A rodovia é responsável pelo transporte de cerca de 50% da produção brasileira. Sendo assim, a situação traz riscos à vida de quem dirige e também para o escoamento dos produtos.

No período das chuvas, a situação se inverte: são 150km a 200km de trechos ruins e intermitentes que não foram concluídos. Além da demora na pavimentação, os trechos que já foram asfaltados não passam por manutenção e acabam ficando esburacados.

Quando há o período de seca, além da poeira, as pedras se soltam. Isso, além de tudo, causa um atraso nas viagens: o trecho que uma carreta poderia percorrer em um dia e meio acaba demorando três dias.

Confira o vídeo completo:

Veja como ficou a rodovia no período das chuvas em 2017, com cobertura do Notícias Agrícolas:

>> BR-163: No trecho dos atoleiros, circulam, por enquanto, só os caminhões vazios

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • jakson scherer Unai - MG

    Viva o brasil , país onde o estado é ótimo para cobrar questões ambientais , e péssimo para servir o cidadão que quer trabalhar , esses órgãos ambientais todos alinhados com a agenda globalista da esquerda são muito bons para multar o produtor rural por n motivos fúteis ,que dizem prevenir a degradação do meio ambiente , mas só vemos multas exorbitantes para o setor agrícola pagar , e na hora desse estado dar um retorno para quem quer trabalhar e gerar emprego nesse pais não , não tem dinheiro , so tem dinheiro para copa do mundo , e para obras superfaturadas , viva o brasileiro inerte e passivo ... o dia que o setor produtivo parar de crescer vamos ver a crise se aprofundar mais ainda e não vai adiantar pq comida não sai de medida provisoria não, comida sai do suor e trabalho de quem está disposto a trabalhar ......

    1
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      O grande problema dos órgãos ambientais e' que são constituídos por pessoas de filosofia ambiental pura=----Isso faz com que dificultem a vida dos produtores rurais escondendo e não concedendo os direitos que a lei nos confere---E' preciso contratar advogado para conseguirmos nossos direitos---Esta luta não sera' fácil, mas não podemos recuar--

      3