Após várias semanas de comercialização travada, tradings voltam às compras em MT mas pressionam preços e alongam retirada

Publicado em 17/07/2018 13:01 e atualizado em 17/07/2018 14:45
1935 exibições
Produtores aguardam definição sobre preço mínimo dos fretes antes de avançar na comercialização da safra de milho. Movimentação acontece apenas para cumprimento de contratos feitos antecipadamente
Giovana Velke - Presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis/MT

Podcast

Entrevista com Giovana Velke sobre o Frete Impactando no escoamento da safra

Download

 

LOGO nalogo

Giovana Velke, presidente do sindicato rural de Campo Novo do Parecis (MT), destacou ao Notícias Agrícolas nesta terça-feira (17) que as tradings voltaram a comprar soja na região. Contudo, as retiradas são agendadas mais para frente, com raras comercializações de retirada imediata. Os preços não estão atrativos para os produtores e a indefinição dos fretes ainda preocupa.

Dependendo do local, os preços giram em torno de R$70 a R$71. Anteriormente, estes chegaram até a R$75, mas não voltaram a ser praticados. Para a soja balcão, a diferença é de R$7 a R$8 da soja disponível, o que está relacionado também com as perdas em Chicago.

Velke lembra que a retirada em outubro e novembro é um complicador, já que há produtores com contas a vencer que seguraram seus produtos para conseguir preços melhores e, agora, não estão encontrando.

O milho está sendo colhido e muitos produtores não possuem onde estocar, tendo de recorrer aos silos bag. Aqueles que conseguem segurar irão usar dessa tática, pois dependendo do valor do frete os prejuízos podem ser de até R$7 por saca.

Para a safra de verão, aguarda-se que os insumos necessários possam chegar a tempo na mão dos produtores.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário