Soja: Frete mais alto reduz margem dos produtores na região de Erechim (RS)

Publicado em 24/07/2018 11:01 e atualizado em 24/07/2018 15:55
826 exibições
Negócios estão rodando na localidade e em torno de 30% a 40% da produção de soja ainda precisa ser negociada. Aos poucos, produtores têm recebido aos adubos da próxima safra. No trigo, área cultivada apresentou queda entre 5% a 10% nesta temporada. Clima contribui para o desenvolvimento das lavouras. Contratos fixados entre R$ 36,00 a R$ 40,00 a saca.
João Picolli - Presidente do Sindicato Rural de Erechim/RS

Podcast

Entrevista com João Picolli - Presidente do Sindicato Rural de Erechim/RS sobre o tabelamento dos fretes

Download

 

LOGO nalogo

A questão do tabelamento do frete continua penalizando o agronegócio brasileiro. Em Erechim (RS), os negócios estão rodando, porém, o frete mais alto tem reduzido a margem de lucros dos produtores de soja. E cerca de 30% a 40% da oleaginosa colhida na região na safra de verão ainda precisa ser comercializada.

"Temos um aumento na aquisição dos insumos e uma diminuição no resultado ao produtor no momento da comercialização. A saca da soja disponível é cotada ao redor de R$ 80,00 a R$ 82,00, já aquela que foi entregue nas cerealistas tem um custo maior e o preço gira em torno de R$ 74,00 a R$ 76,00 a saca", explica o presidente do Sindicato Rural do município, João Picolli.

A comercialização tem ocorrido conforme a necessidade dos produtores em quitar os compromissos, ainda na visão da liderança. Por outro lado, aos poucos, os agricultores têm recebido os fertilizantes adquiridos para a próxima safra de verão.

Trigo

Até o momento, o clima tem contribuído para o desenvolvimento das lavouras de trigo, que estão germinando ou em fase de desenvolvimento vegetativo. Nesta temporada, a área destinada ao plantio do cereal registrou queda entre 5% a 10% na localidade. Inclusive, alguns produtores já se preparam para o plantio do milho e até mesmo da soja.

"A expectativa é que haja uma antecipação do plantio da soja nesta temporada. No trigo, temos lavouras mais tecnificadas e, por consequência, mais caras. Então precisamos de uma produção elevada para compensar os preços que não estão bons", pondera Picolli.

Nesta temporada, alguns produtores até realizaram contratos antecipados com a cultura do trigo, com valores entre R$ 36,00 a R$ 40,00 a saca.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário