Em Sta Rosa del Monday (PY), produtores iniciam a colheita do milho safrinha e preços mais baixos preocupam

Publicado em 08/06/2015 10:49
Em Sta Rosa del Monday (PY), produtores iniciam a colheita do milho safrinha e preços mais baixos preocupam. Tonelada do grão é cotada entre US$ 80 a US$ 100. Chuvas recentes comprometeram a qualidade do grão. No trigo, plantio chega ao final, com custos de produção mais altos. Investimentos na próxima safra deverão ser menores.
Em Santa Rosa Del Monday, no Paraguai, produtores iniciam a colheita do milho safrinha. Para o produtor, Márcio G. Mattei, a chuva dos últimos dias refletiu na qualidade do milho e a expectativa agora é que o clima se firme nas próximas semanas. 
 
“Sempre é uma preocupação essa fase da colheita. No momento, o que nos limita é a qualidade do grão. Para ser colocado no mercado, o milho tem que ser de boa qualidade para consequentemente ser competitivo no mercado argentino e brasileiro”.
 
Diante desse cenário, a preocupação se estende também para o preço baixo do milho safrinha que segue ao redor dos US$ 80,00 a US$ 100,00 a tonelada. Outra questão é a projeção maior da safra no Paraguai, que deve ultrapassar a do ano anterior. 
 
“O agravante dessa situação é a alta do dólar, porque o milho que sobrava era sempre vendido no mercado brasileiro e hoje com essa valorização do câmbio, o Brasil precisa pagar muito em reais para comprar dólar e o retorno acaba sendo pouco para o produtor”, explica Mattei.
 
Segundo ele, a estratégia do produtor rural será segurar o milho, estocando para vender quando o valor de comercialização estiver melhor. “A esperança é de uma lucratividade sobre o milho vendido em contratos futuros, uma vez que a margem nesse momento está muito ajustada para o produtor”, desabafa Mattei.
 
Com isso, os estoques na região já estão preparados para armazenar o milho colhido. “Temos estoques, porque o produtor já entregou a soja para as empresas que fecharam o prêmio”, revela o produtor.
 
Soja
 
Contrariamente, boa parte da soja no Paraguai já foi comercializada. “O que vendemos já cobriu os custos, porém os preços sofreram uma baixa significativa e seguem ao redor dos US$ 15,00 a saca”, orienta Mattei.

Trigo

 
Já a cultura do trigo no Brasil sofrerá uma redução na área e o cenário se repete na região de Santa Rosa Del Monday. “Aqui no Paraguai a área foi reduzida, porque o custo de produção ficou alto e o trigo depende muito do mercado brasileiro, porém o preço no mercado interno não está àquela maravilha. Comprar em dólar também está complicado”, relata o produtor.
 
A referência para o trigo na região está US$170,00 a US$ 200,00 dólares por tonelada. 
 
Safra 2016
 
Já para a próxima safra o produtor rural vai depender de recursos financeiros do governo para dar continuidade às culturas. “O produtor vai ter que ir atrás do crédito para poder conseguir plantar na próxima safra, não vai sobrar dinheiro para comprar insumos à vista”, diz Mattei. 

 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio// Nandra Bites

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário