Em Dourados (MS), produção de milho safrinha já tem perda de 20% e produtores seguem atentos ao clima

Publicado em 02/06/2016 10:53 916 exibições
Preocupação é com a ocorrência de geadas, que se confirmadas, podem ocasionar prejuízos de até 50% da produção. Produtores iniciam a colheita e a produtividade média gira em torno de 30 a 120 sacas por hectare. Saca do cereal é cotada entre R$ 45,00 a R$ 50,00 na região. Agricultores fizeram contratos entre R$ 25,00 a R$ 26,00/sc.

Os produtores iniciaram a colheita do milho safrinha na região de Dourados (MS) e as primeiras áreas tem mostrado grande disparidade no rendimento.

Após os impactos de excesso de chuvas no início do plantio, as lavouras sofreram com mais de 30 dias de veranico prejudicando o desenvolvimento da cultura. O presidente do sindicato rural, Lúcio Damalia, conta que a produtividade nas primeiras áreas colhidas vão de 30 sacas por hectare até 60 scs/ha.

"Em função do excesso de chuvas e na sequência a seca, tivemos muito problema com estandes. As perdas variam de 10% a 15%", destaca o presidente.

E as preocupações com o clima continuam. Com um grande volume de lavouras cultivadas tardiamente, as possibilidades de geada antecipada em junho pode elevar as perdas a 50%.

As chuvas, neste momento ocorrerem em baixo volume e não devem trazer consequência para a produção.

Preços

Aliado a expectativa de redução na oferta de safrinha em todo o país, e as dificuldades no abastecimento do cereal, os preços se mantêm em alta desde o início do ano.

Segundo Damalia na região o milho é comercializado a R$ 50,00 a saca de 60 kg no disponível. E contratos antecipados entre R$ 25,00 a R$ 26,00/kg.

"Isso é ruim para a cadeia produtiva, ainda mais considerando que pouquíssimos agricultores aproveitam desse preço alto", destaca o presidente.

Por:
Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário