Milho: Chuvas amenizam condições das lavouras, mas perdas estão próximas de 40% em Rio Brilhante (MS)

Publicado em 15/05/2018 10:19 e atualizado em 15/05/2018 13:46
2546 exibições
Acompanhamento de safra do milho safrinha em Rio Brilhante/MS
Luciano Cargnin Manfio - Presidente do Sindicato Rural de Rio Brilhante/MS

LOGO nalogo

Na região de Rio Brilhante/MS, as chuvas se confirmaram e amenizou os parte dos prejuízos nas lavouras de milho safrinha. Até o momento, as perdas estão próximas de 40% e sem chance de recuperação do potencial produtivo da cultura.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Luciano Cargnin Manfio, a região estava a mais de 40 dias sem chuvas generalizadas, sendo que em determinadas localidades tiveram precipitações de até 10 mm. “Na sexta-feira tivemos uma chuva de 15 a 30 mm e vai ajudar as lavouras que foram cultivadas mais tarde”, afirma.

Outro fator que comprometeu o desenvolvimento do milho foi às altas temperaturas durante o mês de abril. “Após essa chuva, a temperatura já caiu e está normal e as noites estão mais frescas. Nós temos previsões de precipitações para amanhã e até o próximo final de semana”, destaca.

Em anos que as condições climáticas contribuem o rendimento das lavouras chega por volta de 70 a 80 sacas do grão por hectare, mas na temporada passada a produtividade ficou em torno de 90 a 100 sacas/ha. Por sua vez, a maioria dos produtores não possui seguro agrícola nas propriedades.

“O seguro rural ainda é muito caro e boa parte dos agricultores vai pagar por esses prejuízos. Na região, o seguro rural chega a ser de 7% a 8% dos custos da lavoura”, diz a liderança.

Comercialização

Nesta temporada, os produtores rurais estão cautelosos para fechar novos negócios em função das adversidades climáticas. Na localidade, as referências para o milho giram em torno de R$ 30,00 a saca. “Quando teve a seca o agricultor deu um passo para trás e não travou o preço com medo de não ter produto”, finaliza.

Por: Fernanda Custódio e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário