Segunda safra de milho atinge 60% da área estimada em Assis Chateubriand-PR, mas clima irregular ainda preocupa

Publicado em 23/01/2019 12:07 e atualizado em 23/01/2019 16:21
1248 exibições
Última chuva boa e generalizada ocorreu em novembro do ano passado e de lá pra cá, produtores contam com a sorte para garantir boa produção
Valdemar Melato - Pres. Sind. Rural de Assis Chateaubriand (PR)

Podcast

Entrevista com Valdemar Melato - Pres. Sind. Rural de Assis Chateaubriand (PR) sobre o Plantio do milho Safrinha no PR

Download

LOGO nalogo

No município de Assis Chateaubriand/PR, a área destinada à segunda safra já 60% cultivado com o milho, sendo que nesta temporada a área destinada ao cereal deve aumentar 10% se comparado ao ano passado. No entanto, os produtores rurais estão preocupados com as condições climáticas irregulares.

De acordo com o Presidente do Sindicato Rural da localidade, Valdemar Melato, a semeadura do milho iniciou mais cedo em virtude da estiagem que prejudicou a cultura da soja. “No ano passado, o plantio do milho safrinha estava em torno de 5%, tendo em vista que atualmente estamos com 60% cultivado e os produtores estão mais animais já que vão evitar os riscos com a geada no inverno”, afirma.

Em relação às condições climáticas, as primeiras áreas cultivadas do milho safrinha estão prejudicadas por conta das altas temperaturas. “Nós estamos com temperaturas elevadas e com baixa umidade do solo, na qual a temperatura que está ao redor de 38 graus não favorece o desenvolvimento do cereal que está germinando”, destaca.

A liderança comenta que o andamento do plantio da segundo safra poderia estar mais adianto se as chuvas estivessem regulares. “O produtor fica com receio de continuar o plantio sem a devida umidade necessária, pois o custo de produção é bastante alto e ninguém quer arriscar”, conta.

A última precipitação generalizada que a localidade recebeu foi no dia 30 de novembro. “De lá para cá só recebemos chuvas isoladas, por isso a situação está bastante preocupante e pode comprometer a produtividade se as chuvas não de regularizarem”, diz.

Os custos de produção tiveram um aumento significativo se comparado com o ano passado, principalmente os fertilizantes e as sementes de milho. “Os valores das sementes de milho subiram 10%, sendo que deveriam ser um pouco mais barato e estão praticando os preços do ano passado para mais”, ressalta.

Atualmente, as referências para a cultura do milho estão próximas de R$ 29,50 a saca. “Esses patamares de preços estão longe de serem o ideal ao produtor, visto que na safra passada comercialização ao redor de R$ 33,00/sc e ainda não sabemos qual será a tendência”, pontua.

Por Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário