Colheita da soja se encaminha para o final em Cristalina com produtividade de 53/54 sacas por hectare

Publicado em 18/03/2019 10:48 e atualizado em 18/03/2019 15:02
542 exibições
Colheita da soja se encaminha para o final em Cristalina com produtividade de 53/54 sacas por hectare
Alécio Maróstica - Presidente Sindicato Rural de Cristalina - GO

Podcast

Entrevista com Alécio Maróstica - Presidente Sindicato Rural de Cristalina - GO sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

A colheita da safra de soja já se encaminha para a parte final em Cristalina em Goiás. Até o momento, entre 85 e 90% do total da área já foi colhida e o restante deve ser terminado até a próxima semana.

Apesar de produtividades variadas, com algumas áreas produzindo manos do que 40 sacas por hectare, a média no município deve ficar entre 53 e 54 sacas por hectare, conta as 56 atingidas na safra passada.

Os produtores locais já encerraram o plantio dos 80 mil hectares do milho safrinha e estão finalizando os trabalhos com 30/40 mil hectares de sorgo e de culturas irrigadas como por exemplo, alho, batata, cebola, cenoura, beterraba, milho doce, tomate, trigo, cevada, centeio e bata doce.

“O produtor sabe que a segunda safra aqui é de risco. A meteorologia está indicando que devemos ter chuva até o início de abril, até lá para o dia 15, e isso salvaria o milho e o sorgo. As outras áreas são irrigadas e esperamos que podemos ter segundas safras muito boas”, diz Alécio Maróstica, presidente do Sindicato Rural de Cristalina/GO.

As perspectivas de mercado também animam os agricultores tanto para a venda dos 40% de soja restante dessa safra, quanto no desenho para as negociações do milho safrinha.

“A comercialização não tem tido problemas, temos uma comercialização dinâmica com o mercado comprador e preços relativamente bons em torno de 65 e 72 reais a saca. A comercialização está fluindo de maneira normal e não tem sido um problema para o produtor. O mercado de milho é remunerador e pode continuar assim, principalmente dependendo das questões da briga comercial entre Estados Unidos e China”, conta Maróstica.

Acompanhe a entrevista completa no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário