Safrinha de milho é plantada dentro da melhor janela e expectativa de produtividade é alta em Goiás

Publicado em 26/03/2019 10:34 e atualizado em 27/03/2019 14:24
819 exibições
Safrinha de milho é plantada dentro da melhor janela e expectativa de produtividade é alta em Goiás
Adriano Antônio Barzotto - Presidente da Aprosoja GO

Podcast

Entrevista com Adriano Antônio Barzotto - Presidente da Aprosoja GO sobre o Acompanhamento de Safra do Milho

Download

LOGO nalogo

A antecipação do ciclo da soja beneficiou o cultivo da safrinha de milho em Goiás. Os trabalhos de semeadura foram realizados todos dentro da melhor janela para o estado, que está se beneficiando das boas chuvas de fevereiro e março, e das expectativas de continuidade das precipitações para abril.

Os produtores goianos mantiveram o alto índice tecnológico nesta safra, que deve ser colhida entre o meio do mês de junho e agosto, e apostam em uma boa produtividade para compensar as perdas da soja. Para isso, é essencial aproveitar as oportunidades de vendas com bons preços.

“O mercado do milho é muito dinâmico e o produtor precisa estar muito atento à esse dinamismo. Na semana passada tivemos uma disparada do dólar que propiciou a melhora no preço do milho futuro e produtor precisa estar muito atento e aproveitar essa janela especifica de comercialização. Essa semana já está mais fraca e a tendência é essa oscilação acontecer até mais próxima da colheita”, aponta Adriano Antônio Barzotto, presidente da Aprosoja Goiás.

Já na soja, o cenário não é tão animador. A safra 2018/19 sofreu com veranicos em dezembro e janeiro, o que prejudicou a produtividade, principalmente das cultivares mais precoces. Com a colheita se encaminhando para o final em Goiás, a queda de produtividade gira em torno dos 15% com relação a expectativa de 12 milhões de toneladas.

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • elcio sakai vianópolis - GO

    Goiás deve ter uma bela safrinha de milho, acredito que outros estados como Paraná e Mato Grosso devem estar com suas safrinhas com ótimas perspectivas também! Devemos ter cuidado, porém, pois se a exportação de milho caminhar a passos lentos igual ao ano passado, podemos ter o preço do milho inferior ao custo de produção. Na região onde resido, estamos tendo uma alternativa promissora com a cultura de girassol, ano passado nesta região plantamos 2.000 hectares e neste ano o total plantado foi de 7.000 hectares. A maior parte dos produtores de girassol já travaram seus custos de produção, vendendo parte de sua safra futura. Devemos buscar alternativas tão promissoras ou mais que o milho safrinha, temos o feijão caupi, trigo do cerrado e muitas outras opções. Outro problema que o milho safrinha pode ter é a tabela de frete, inviabilizando o escoamento das áreas produtoras até os portos. Vamos ficar atento, talvez o tradicional soja e milho safrinha já não esteja dando o retorno sustentável pra nossa atividade.

    2
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Sr ELCIO, apesar de eu ter votado positivo acho necessario ressaltar esse seu comentario que divulga a ideia de diversificar a *safrinha* no intuito de estancar a queda de preço dos produtos-

      2