Quebra de 20% é esperada para o milho safrinha em Maringá/PR após 40 dias sem chuvas

Publicado em 07/05/2019 10:50 e atualizado em 07/05/2019 12:34
2934 exibições
Produtividade média esperada era de 100 sacas por hectare, mas expectativa já caiu para 80
José Antônio Borghi - Presidente do Sindicato Rural de Maringá/PR

Podcast

Entrevista com José Antônio Borghi sobre Acompanhamento de Safra do Milho Safrinha

Download

LOGO nalogo

A região de Maringá no Paraná depositava grande esperança para a safrinha de milho. Porém, após fechar a safra 2018/19 de soja com queda de 40% na média de produtividade, mais uma vez a falta de chuvas dá as caras e prejudica o desenvolvimento das lavouras.

Na reta final do plantio do milho, no meio de março, os produtores esperavam colher em média 100 sacas por hectare, mas algumas áreas do município registraram até 40 dias sem chuvas e essa expectativa já caiu para 80 sacas, 20% a menos do que o ideia inicial, de acordo com José Antônio Borghi, presidente do Sindicato Rural de Maringá/PR.

Outra preocupação dos produtores é o preço de venda para o milho. Segundo o presidente, os produtores esperavam um patamar maior do que R$ 30,00 a saca para conseguir alguma margem de lucro, porém atualmente este preço está em R$ 25,00.

O cenário em Maringá é de frustação nas últimas safras (safrinha de milho 2018, safra de soja 2018/19 e safrinha de milho 2019) e com isso, os produtores estão “pisando no freio” para novos investimentos nas próximas safras, conforme aponta Borghi.

Confira a entrevista completa com o presidente do Sindicato Rural de Maringá/PR no vídeo.

0 comentário