ELEIÇÕES: Veja as propostas dos Presidenciáveis para o Agronegócio Brasileiro - Dilma Rousseff

Publicado em 16/08/2010 11:10 e atualizado em 16/08/2010 15:09 1958 exibições
Para Dilma, o agronegócio deve englobar segurança energética, segurança alimentar e segurança no meio ambiente.

A Abag - Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e mais de 50 entidades ligadas ao segmento elaboraram um documento, com propostas e metas macro-estratégicas para o crescimento seguro e sustentável do agronegócio brasileiro. A meta é dobrar as exportações do agronegócio brasileiro, alcançando, em 2020, US$ 130 bilhões. No campo social, busca-se a inclusão de 800 mil pequenos produtores rurais ao mercado e a capacitação dos filhos de agricultores. Em termos de produção, pretende-se incorporar 15 milhões de hectares de áreas degradadas ao processo produtivo. São metas possíveis, mas que dependem do esforço do Governo para a solução dos entraves na infraestrutura e logística, desoneração tributária, garantia de renda ao produtor, entre outras medidas.

O documento foi entregue aos três principais candidatos à presidência - Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva, que participaram virtualmente (gravaram depoimentos em video), nesta segunda-feira, 9 de agosto, em São Paulo, do 9º Congresso Brasileiro do Agronegócio (CBA), respondendo a questões referentes aos seis pilares para o crescimento seguro e sustentável do agronegócio brasileiro. O evento foi promovido pela Abag - Associação Brasileira do Agronegócio.

Garantia de renda para o agricultor

"O agronegócio engloba três agendas estratégicas para o Brasil e para o mundo: segurança energética, segurança alimentar e segurança no meio-ambiente", disse Dilma Rousseff.

Infraestrutura e logística

Dilma concordou que a infraestrutura é um dos principais gargalos do agronegócio brasileiro e por isso foi estabelecido o PAC I e PAC II. Segundo a candidata, entre 2007 e abril de 210 foram investidos R$ 460 bilhões em ferrovias, aeroportos, portos, hidrovias, rodovias, estaleiros e embarcações.

Comércio Exterior

Dilma afirmou que o Brasil possui um grande potencial de produção, boas tecnologias disponíveis e diversificação de produtos para exportação. "Estamos finalizando a criação de uma agência especializada em Comércio Exterior", explicou.

Pesquisa, desenvolvimento e inovação

Dilma destacou a importância da Embrapa para o posicionamento do País como importante player no desenvolvimento tecnológico na área agrícola. "Pretendemos manter o apoio a Embrapa e, também, aos centros de pesquisa estaduais, universidades e iniciativa privada", disse.

Defesa agropecuária

Dilma disse que irá trabalhar para a modernização de redes públicas de laboratórios. "Precisamos gerar tecnologias e novas metodologias de controle de medidas sanitárias e fitossanitárias", afirmou.

Institucionalidade do poder público

De acordo com Dilma, integrar os ministérios não é a solução porque o agronegócio possui ações específicas e transversais. "O desafio é integrar as diferentes atividades cotidianas mesmo que não estejam em uma mesma pasta", afirmou

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

7 comentários

  • airton mochko São Felipe D\'Oeste - RO

    senhores. como faço para ter o audio do seguinte video:

    ELEIÇÕES: Veja as propostas dos Presidenciáveis para o Agronegócio Brasileiro - Dilma Rousseff

    aguardo

    0
  • andre cruz marcondes maracaju - MS

    Eu acho engracado achar que vao aumentar as exportacoes com esse cambio fajuto ai,na verdade o suparivit comercial vem diminuindo ano a ano.AO inves de diminuir impostos e colocarem o dolar num nivel aceitavel nao,O que fazem pra segurar a inflacao??Seguram o dolar e vao aumentando impostos!!!!A EMBRAPA nao faz uma variedade de soja boa ha anos!!E milho entao..nunca mais lancou nada!!Nao acredito nesse governo nem um pouco!!Se em oito anos nao fizeram nada que deem lugar para alguem competente!!!abraco a todos!

    0
  • Luis Henrique Peloso Campos Gerais - MG

    Só quando o voto for facultativo no Brasil(jamais) teremos a possibilidade de alcançar e mostrar o verdadeiro valor da agricultura para nosso país.

    0
  • Luis Henrique Peloso Campos Gerais - MG

    QUAL DOS CANDIDATOS REALMENTE SABE DIFERENCIAR UMA CULTURA DA OUTRA, DEVERIA HAVER UMA PROVA DE CONHECIMENTOS JÁ QUE TODOS ELES CONCORDAM COM A IMPORTANCIA DA AGRICULTURA. SÃO TODOS REPETIDORES DE DISCURSOS ESCRITOS POR OUTROS.

    0
  • Luis Henrique Peloso Campos Gerais - MG

    Meus caros colegas produtores rurais, podem escrever e gravar que continuaremos alimentando e dando conforto a muita gente; menos a nossas famílias enquanto continuarmos a manter no poder verdadeiros demagogos. PREPAREM-SE QUE TEMPOS PIORES VIRÃO....É só ler as propostas de todos os candidatos, que querem que continuemos a manter o "SOCIAL".

    0
  • fabio andre rosa Porto Ferreira - SP

    podemos falar oque quiser , aboca e nossa.

    mas niguem toca na firida , subsidio agricolas e perdao das dividas passadas , que outro governos faladores deixarao.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Fiquei decepcionado porque até o Perguntador acredita na falácia do Aquecimento Global, efeito estufa e escassez de alimentos no mundo. Ela, lógico respondeu levando em conta isto. MENTEM todos quando dizem que foram alocados 100 bilhões de Reais de crédito rural 2010/11 para o "Agronegócio" e 16 bilhões para a Agricultura Familiar quando na verdade estes 16 são para turma do PRONAF que é uma turma muito menor do aquela da "Agricultura Familiar" classificada pelo IBGE e que segunto dizem, produz 70% do alimentos do Brasil. Muitas "meia-verdades".... ou serão mentiras completas?

    0