Embrapa aponta custo de produção da soja em MS 11% mais alto que na safra passada e peso maior vem de sementes e defensivos

Publicado em 23/08/2016 12:33 e atualizado em 23/08/2016 13:29
582 exibições
Com produtividade média de 50 sacas por hectare, custo da soja convencional equivale a 43 sacas, soja RR1 custa 42 sacas e RR2 custa 44 sacas

Um levantamento feito pela Embrapa Agropecuária Oeste indica que o custo de produção para a próxima safra de soja no estado do Mato Grosso do Sul será 11% mais caro em média do que na safra passada.

De acordo com Alceu Richetti, analista da Embrapa Agropecuária Oeste, esse aumento é baseado principalmente no custo de fertilizantes, que representaram um impacto médio de 17% no custo total. Os insumos e os defensivos agrícolas também são responsáveis pela alta, uma vez que quando as compras foram realizadas, o dólar se encontrava em patamares mais elevados.

O analista indica que a semeadura é o momento mais importante para se prestar atenção no custo, uma vez que essa fase precisa ser muito bem feita pelo produtor. “Ali está todo o impacto para o futuro da lavoura, pois essa fase representa 45% do custo de produção”, destaca. A umidade, a época, o poder germinativo e o controle e cuidados de rotina são essenciais para obter bons resultados nessa etapa.

A Embrapa Agropecuária Oeste também apurou o custo em relação a cada tipo de soja utilizado no estado. A Soja RR Convencional, que possui custo mais elevado que a soja RR1, já que esta utiliza menos herbicidas, terá um custo médio de R$56 por saca produzida, enquanto o custo da RR1 fica em R$54 por saca produzida. Na semente RR2, a intacta, há o impacto de 13% do custo da semente, portanto, o custo total fica em R$58 por saca produzida.

Já para a soja irrigada, que é produzida em menor quantidade no estado, o custo é de R$39,90 por saca.

O potencial de produção, de acordo com o analista, cobre os custos de produção, mas ele lembra que cada propriedade tem as suas particularidades. “Talvez alguns possam ter um custo tanto menor quanto mais do que as estimativas, mas o produtor tem sempre a vantagem de realizar seus próprios controles e saber como trabalhar melhor com suas propriedades”, explica.
Os custos foram baseados no valor de comercialização a R$65, no entanto, o mercado sinaliza preços maiores para a próxima safra.

Veja o relatório da Embrapa, clique aqui

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário