Na Bahia, chuvas começam a se regularizar e plantio está prestes a ser iniciado; tabelamento dos fretes segue preocupando

Publicado em 16/10/2018 11:05 e atualizado em 16/10/2018 13:45
1202 exibições
Apesar das boas expectativas, custos de produção estão mais altos este ano e aumento veio, principalmente, com o tabelamento dos fretes. Fertilizantes tiveram incremento de 10%. Ainda assim, produtores seguem investindo. Questão logística atrasa a comercialização da safra nova.
Alan Juliani - Presidente da Aprosoja Bahia

Podcast

Entrevista com Alan Juliani - Presidente da Aprosoja Bahia sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

No estado da Bahia, a perspectiva é que o plantio da safra 2018/19 da soja comece ainda nesta semana. Em contrapartida, a comercialização da safra futura está muito abaixo dos patamares dos anos anteriores devido ao tabelamento dos fretes.   

De acordo com o presidente da Aprosoja Bahia, Alan Juliani, as recentes chuvas no estado estão deixando os produtores animados para o plantio da soja. “Hoje, as chuvas estão mais uniformes na região e já começaram as pancadas, mas pelo o que os meteorologistas dizem que vai ser um pouco manchado”, comenta.

Em relação à entrega dos insumos, a liderança destaca que houve atrasos em função do tabelamento dos fretes. “Nos meses de maio a junho ficou tudo parado, não comercializada nem a soja e está difícil de fazer as compras de adubos”, afirma.

Além de comprometer as entregas, os preços mínimos para os fretes encareceram os custos de produção na localidade. “Os valores de fertilizantes aumentaram em torno de 10% só por causa do tabelamento, sendo que os fretes dos adubos dobraram de preços”, diz.

Até o momento, apenas 26% da safra futura foi comercializada na região em que os patamares estão muito abaixo se comparada os anos anteriores. “Geralmente, a comercialização futura estava próxima de 40% nas outras temporadas”, conta.

Apesar das incertezas logísticas e cambiais, os produtores rurais estão fazendo investimento com alta tecnologia. “Como temos problemas climáticos é preciso investir no preparo de solo, bases mais profundas e adubações mais pesadas. A área vai continuar a mesma nesta safra e vai realizar o plantio na segurança”, ressalta.

Por: Carla Mendes e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário