Área plantada com a soja registra incremento de 4% nesta safra em Mato Grosso do Sul

Publicado em 26/11/2018 10:27 e atualizado em 26/11/2018 15:42
503 exibições
Produtores aumentaram área plantada em 140 mil hectares nesta temporada. Clima contribui para a finalização do plantio do grão no estado. Agricultores estão atentos ao aparecimento da ferrugem nas plantações. Mercado segue travado e preços giram em torno de R$ 63,00 a R$ 65,00 a saca. Em torno de 25% da safra foi comercializada antecipadamente.
Juliano Schmaedecke - Presidente Aprosoja MS

Podcast

Entrevista com Juliano Schmaedecke sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

A lavoura de soja no estado do Mato Grosso do Sul se beneficiou das boas condições climáticas para garantir um plantio com tranquilidade e cerca de 30% mais adiantado do que os últimos 5 anos. A área total plantada chegou a 140 milhões de hectares, 4% a mais do que no ano passado.

“Nós aqui no Mato Grosso do Sul sempre começamos o plantio com pouca chuva e com a umidade não da maneira que deveria ser. Nesse ano tivemos agosto e setembro com excesso de chuva então entramos com uma boa capacidade de campo que dá tranquilidade e segurança ao produtor rural”, conta Juliano Schmaedecke, Presidente Aprosoja MS.

Assim como o plantio que aconteceu de maneira antecipada, o aparecimento dos casos de ferrugem no estado também se adiantaram em uma semana. “Temos um foco confirmado pela Fundação MS e mais duas suspeitas no sul do estado próximos à fronteira. É hora de monitorar e aplicar os fungicidas sem esquecer do calendário. A soja que está em estado reprodutivo é mais susceptível à ferrugem e precisamos fazer a nossa tarefa para garantir um bom ano agrícola”, diz Schmaedeck.

O presidente também comenta sobre a apreensão do produtor em relação ao valor de venda da soja.“Hoje o que temos para o futuro é um mercado entre 63 e 65 reais por saco. O dólar caiu e temos essa briga da China com os Estados Unidos que deixa a bolsa de Chicago muito em baixa, mas o prêmio aqui para o Brasil muito em alta. Nosso medo é quando eles se ajustarem e o prêmio daqui cair, a que nível vai chegar a soja daqui”.

Para superar essa incerteza e atingir um patamar de vendas que supere os custos de produção, o caminho segundo Juliano é garantir a produtividade “Cada produtor tem que fazer a sua gestão para conseguir cobrir. A nossa produtividade média no estado nos últimos anos tem sido entre 55 e 60 sacos, no ano passado fechamos uma safra recorde de 59 sacos. Eu acredito que se conseguir produzir perto desses 60 sacos conseguimos fechar a conta”. 

Por: Fernanda Custódio e Guilherme Dorigatti

Nenhum comentário