Excesso de chuvas e falta de luminosidade podem afetar o rendimento das primeiras áreas de soja em Pato Branco (PR)

Publicado em 26/11/2018 11:46 e atualizado em 26/11/2018 14:29
736 exibições
Região registrou muita chuva durante os meses de setembro e outubro. Lavouras de soja apresentam porte menor nesta temporada. Nos últimos anos, rendimento médio das primeiras áreas tem ficado próximo de 65 a 70 scs/ha. Antecipação do aparecimento dos esporos da ferrugem também preocupa os produtores.
Carlos Luciano Uberti - Ass. Téc. da Coplanta de Pato Branco/PR

Podcast

Entrevista com Carlos Luciano Uberti sobre a Ferrugem Asiática

Download

LOGO nalogo

Mais uma vez, os produtores rurais de Pato Branco (PR) registram um início de temporada agrícola complicado. Com o plantio da soja da safra 2018/19 chegando ao final na região, os agricultores estão preocupados com os efeitos do excesso de chuva e da falta de luminosidade na produtividade das lavouras nesta ciclo.

Nesta temporada, a semeadura da oleaginosa teve início logo após o término do vazio sanitário no estado, em 10 de setembro. Porém, as primeiras áreas foram afetadas pelas precipitações e os dias nublados registrados, principalmente, ao longo do mês de outubro. Consequentemente, a perspectiva é de uma redução na produtividade nesta safra.

 "Temos plantas com porte menor, com redução no tamanho de entrenós. Com isso, acreditamos que possamos ter algum impacto na produtividade das lavouras, embora o clima esteja mais favorável agora. As chuvas têm aparecido pelo menos uma vez por semana e os dias estão mais quentes", afirma o assessor técnico da Coplanta de Pato Branco, Carlos Luciano Uberti.

Ferrugem Asiática

A antecipação do aparecimento da ferrugem asiática nas lavouras de soja acendeu uma luz amarela na produção paranaense. Segundo dados do Consórcio Antiferrugem, o estado tem 19 casos da doença já confirmados.

"Em Pato Branco nós já temos a presença dos esporos da ferrugem. Os produtores já realizam as aplicações de fungicidas e o monitoramento das lavouras para o controle mais efetivo da doença", pondera o assessor técnico.

Além da preocupação com o rendimento das lavouras, a ferrugem traz uma apreensão quanto aos custos de safra, que já estão mais altos. Isso porque, nas primeiras áreas, a perspectiva é seja necessária mais aplicações para o controle da doença.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Rudinei Luis Erpen Lagoão - RS

    No Rio Grande do Sul não é nada diferente... fortes e altos volumes de chuva atingiram o estado nós últimos dias, as lavouras estão com um desenvolvimento retardado, várias lavouras com baixo stand de plantas e várias com replante..., está sendo um dos piores início de safra dos últimos anos.

    0