Falta de chuvas e temperaturas altas provocam 30% de perda na produtividade de soja em Cascavel/PR

Publicado em 02/01/2019 10:30 e atualizado em 02/01/2019 11:34
2252 exibições
Colheita já começou em algumas lavouras da cidade e nem mesmo as chuvas previstas para os próximos dias na região devem recuperar esse cenário. Negócios estão travados há 60 dias e preços baixos não animam os produtores.
Modesto Félix Daga - Diretor do Sindicato Rural de Cascavel

Podcast

Acompanhamento de Safra da Soja - Modesto Félix Daga - Diretor do Sindicato Rural de Cascavel

Download

LOGO nalogo

A maioria das lavouras de soja na cidade de Cascavel/PR estão em fase de formação de grão, mas a colheita já se iniciou em algumas localidades do município. Os trabalhos devem se intensificar após o dia 15 de janeiro, mas os produtores já identificam perdas de produtividade entre 30 e 35% com relação a expectativa para a safra 2018/19.

“O que acontece em nossa região é que a grande maioria das áreas não receberam chuvas nos últimos 30 dias, algumas regiões até 40 dias sem chuvas. Outro fator muito preocupante para nós é a temperatura que está a cima da média e faz com que a planta sofra muito mais. Hoje, de maneira geral me nossa região, temos uma perda significativa na soja de mais de 30%”, diz Modesto Félix Daga, diretor do Sindicato Rural de Cascavel.

Nem mesmo a previsão de chuvas nos próximos dias deve resolver os problemas. O diretor do sindicato destaca que “uma chuva nesse estágio de desenvolvimento da planta você para de perder, mas não se recupera mais. Uma boa chuva sempre é bem vinda é o que é importante é que essa chuva seja generalizada e não pancadas de chuva localizadas”.

Com esse cenário negativo para a safra de soja na região de Cascavel, os produtores locais se preocupam com a possibilidade de não fechar a conta após custos de produção mais altos e produtividade mais baixa. “A grande maioria não vai conseguir fechar a conta e muitos produtores estão recorrendo ao seguro para poder cobrir o financiamento bancário. No valor em que estamos no mercado hoje e na produtividade que está se obtendo ele não consegue fechar a conta em hipótese alguma”, pontua Daga.

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Claudiney Demarco Mamborê - PR

    Pela época que foi plantada a safra está normal... se fosse plantada na época certa a quebra não iria ser tanta...

    25
    • RICARDO MENARIMCASTRO - PR

      Será que não está na hora de escutar mais os técnicos, e não arriscar tanto nas cultivares mais precoces e evitar concentrar o plantio no cedo?

      0