Soja: Preços no Brasil ainda não atraem vendedores e negócios seguem limitados e pontuais; momento é de cautela

Publicado em 04/02/2019 17:10 e atualizado em 04/02/2019 18:54
2141 exibições
Em Chicago, apesar das sinalizações positivas, mercado ainda deve continuar caminhando de lado e ainda não possui força para definir uma tendência de altas. Especulações se intensificam sobre novos números do USDA e safra 2019/20 dos EUA.
Vlamir Brandalizze - Analista de Mercado da Brandalizze Consulting

Podcast

Entrevista com Vlamir Brandalizze - Analista de Mercado da Brandalizze Consulting sobre o Fechamento do mercado da soja

Download

 

LOGO nalogo

Nesta segunda-feira (04), o mercado da soja na Bolsa de Chicago (CBOT) se aproxima do encerramento da sessão com leves altas nos principais vencimentos.

Vlamir Brandalizze, analista de mercado da Brandalizze Consulting, aponta que esse movimento é considerado interessante em uma semana que, normalmente, seria fraca, em função do feriado asiático. Contudo, a China comprou 612 mil toneladas dos Estados Unidos, quando o normal deste período seria liquidação e leves baixas.

Os números dos embarques norte-americanos, entretanto, não foram muito otimistas, embora tenham se posicionado levemente acima da semana anterior.

Brandalizze também comenta que o ano novo da China é considerado o "ano do porco", de forma que este mercado tende a consumir mais a proteína do animal, que é o principal ponto de demanda do setor da soja.

Enquanto isso, os produtores norte-americanos que possuem soja não conseguem entregar por conta do inverno nos Estados Unidos. No Brasil, as vendas estão travadas, já que os produtores estão incertos sobre como será a condição final.

Por: Carla Mendes e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário