Presidente da Aprosoja/MG recomenda que produtor diminua em 20% a produção buscando melhores preços

Publicado em 05/02/2019 11:13 e atualizado em 05/02/2019 14:16
2872 exibições
Recomendação vem em cenário com redução na produtividade esperada para a soja em Minas Gerais e mercado com preços que impossibilitam boas remunerações ao produtor
Wesley Barbosa de Freitas - Presidente da Aprosoja MG

Podcast

Entrevista com Wesley Barbosa de Freitas - Presidente da Aprosoja MG sobre o Acompanhamento da Safra de Soja

Download

LOGO nalogo

“A gente tem falado e mostrado que o produtor, a cada ano que passa, tem a vontade de produzir mais e aumentar a produtividade, mas eu acho que está no momento de fazermos o curso ao inverso. Cada produtor deveria diminuir em torno de 20% a sua produção para poder assim melhorar os preços. O produtor rural precisa pensar em ter lucro e renda e fazendo assim, diminuindo a sua produção, a oferta diminuirá e consequentemente aumentando o preço da mercadoria”, essa é a opinião do presidente da Aprosoja de Minas Gerais, Wesley Barbosa de Freitas.

Esse comentário vem em um cenário de dificuldades enfrentadas pelos produtores mineiros. Até o momento, os preços encontrados para venda da soja não permitem que a conta dos custos de produção seja fechada, principalmente com a queda na produtividade registrada neste início de colheitas.

“Eu creio que se nós colhêssemos em torno de 60 sacas por hectare e vendêssemos a soja por R$ 70,00, estaria remunerando pouco, mas estaria remunerando. Agora, o custo é praticamente 60 sacas e vendendo com preços inferiores do que o ano passado realmente o produtor estará em uma situação difícil nesse ano. Devido ao problema de tabelamento de fretes as trades da região fizeram poucas compras antecipadas e comprometeu ainda mais na comercialização. O normal é fazer 50/60% de vendas antecipadas e esse ano, no máximo, foram feitas 20%”, explica de Freitas.

O presidente da Aprosoja/MG estima que a quebra da safra de soja 2018/19 no estado seja de 20 a 30% na média geral, mas aponta regiões que registram quedas bem maiores. “No ano passado nessa área (Capinópolis/MG) foram colhidas 78 sacas e nesse ano 40. Então é praticamente 50% de perda. Isso não é a nível de estado, mas nessa área aconteceu isso e temos casos de colheita inferior a isso, nós temos casos aqui de 30 sacas por hectare”, afirma Wesley.

Confira a entrevista completa no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Deveríamos discutir está proposta ("Presidente da Aprosoja/MG recomenda que produtor diminua em 20% a produção ")... Ou, ao menos, não aumentar. Uma forma é a de mudar a maneira de pensar. R$ por há. Kg por há. Melhorar o manejo, plantar na melhor época de plantio... Afinal, fazer duas safras na maior parte do país significa duas safrinhas...

    0
    • PAULO ROBERTO BRAZ FIORESESÃO DOMINGOS - SC

      É só diminuir o investimento em custeio, talvez a renda se mantenha.

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      ...uma outra ideia seria fazer uma safra so', no periodo mais tradicional de chuvas (veja historico de 30 anos na climatempo), e nao arriscar a safrinha -- que e' mais perigosa e sempre rende menos.

      0
    • MILTON JULIO WENGRATSANTO AUGUSTO - RS

      Faz algum tempo que venho sugerindo a diminuição de àrea plantada em virtude da baixa remuneração ao agricultor. O preço dos insumos e das máquinas estão na estratosfera, é um absurdo uma colheitadeira valer quase vinte mil sacas de soja ou até mais se em 1977 já produziamos até 60 sacas por ha, e o custo de produção era em torno de 14 sacas e uma colheitadeira poderia ser comprada por 1600 sacas.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Milton, acho que o Sr. "matou a pau" ... ... Na realidade exite a transferência da riqueza do setor de produção da matéria-prima (Agricultura), para o setor de produção dos "insumos" do agronegócio.

      0