Buva tem solução, é o dicamba. Mas o uso do herbicida precisa de responsabilidade

Publicado em 11/02/2019 08:26 e atualizado em 11/02/2019 10:48
5952 exibições
Manejar o herbicida exige cuidado com o vizinho, por causa da deriva
Leandro Paiola Albrecht - Pesquisador UFPR - Setor Palotina

Podcast

A buva tem solução, é o dicamba. Mas o uso do herbicida precisa de competência

Download

 

LOGO nalogo

O Notícias Agrícolas conversou com Leandro Paiola Albrecht, pesquisador da UFPR, para tratar de um problema que é recorrente na lavoura de soja: a buva. Contudo, a chegada de uma nova solução pode trazer um novo combate a este problema.

Há um novo herbicida chegando ao Brasil: o dicamba. Como herbicidas como o paraquat e o glifosato já geraram resistência em algum caso, consequência de um mau uso, o dicamba poderá ser uma solução para esta questão, mas é preciso ter cuidado.

Para Albrecht, os produtores têm que criar rotinas e hábitos para utilizar o herbicida corretamente e não perder essa tecnologia. A recomendação dele é que a aplicação seja feita 30 dias antes da soja e também no pós-emergência, em cima da soja.

Ele diz que é preciso tomar cuidado com a resistência. A planta de buva gera cerca de 350 mil sementes que se disseminam muito rápido com o vento. Se o vizinho também possui soja, os cuidados devem se redobrar.

No entanto, acreditando na performance do produto, que já tem bons resultados nos Estados Unidos, o produtor pode fazer um bom controle. O uso é de um volume mínimo de 150L por hectare e a aplicação deve ser evitada em momentos de vento. O ideal também é que a fisiologia da planta esteja ativa.

Tags:
Por João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte Notícias Agrícolas

3 comentários

  • Cesar Schmitt Londrina - PR

    Dicamba, produto novo? Trabalhei na área de desenvolvimento da Basf, na década de 80 e isso aí já existia. Vai ser preciso muito benzimento para não haver mortes aqui no Brasil. É um produto perigoso, ainda mais sendo manuseado por agricultores que ainda nem aprenderam o que é período de carência e volatilidade. Deus que nos acuda.

    3
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Falou tudo Cesar...

      1
    • WALTER LINDERMANN -

      Dicamba é um produto antigo do final de 70 - inicio de 80..., estão buscando moléculas antigas...

      0
  • André Luiz de Carvalho ibiaca - RS

    bom dia, a respeito do produto ele pode ser misturado com outros princípios ativos, ou existe alguma restrição??

    0
    • CESAR SCHMITTLONDRINA - PR

      Te prepare meu amigo. Nova arma das multis para tirar seu suado dinherinho. Já vai vir misturado com tecnologia na semente, que em pouco tempo não vai mais funcionar.

      2
  • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

    Tenho amigos agricultores nos EUA e eles disseram que este herbicida causou muitos problemas. Houve até morte, quando um agricultor foi reclamar com o vizinho sobre a morte de soja por causa da deriva. Muitos estados proibiram a aplicação do Dicamba. Agora, estão regulamentando . O aplicador tem que fazer um curso e ter uma licença especial, e o horário de aplicação é muito restrito. O dicamba é mais volátil do que o 2,4D. Muito mais. Imagina se no Brasil vão respeitar horário ou velocidade do vento na aplicação? O que vai acontecer é que todos serão obrigados a usar esta tecnologia absurdamente cara.

    2
    • RAFAEL FREIRERIO VERDE - GO

      ESPERAMOS UM POSICIONAMENTO URGENTE POR PARTE DA CNA JUNTAMENTE COM AS FEDERAÇÕES

      3