Aprosoja SC tenta reverter decisão do governador do estado que taxou insumos agrícolas com 17% de ICMS

Publicado em 21/08/2019 10:46
269 exibições
Próxima safra de verão pode fica até 12% mais cara no estado com taxação já valendo. Produtores catarinenses estão apreensivos e área cultivada e tecnologia empregada pode ser menor.
Alexandre Alvadi Di Domênico - Presidente da Aprosoja SC

Os insumos agrícolas em Santa Catarina receberam uma taxação de 17% de cobrança de ICMS a partir do dia 1 de agosto. Com a próxima safra de verão batendo a porta, os produtores do estado estão apreensivos e com dúvidas sobre quais serão as condições para iniciar os plantios que devem começar ainda este mês com o milho em algumas áreas do estado.

Segundo o presidente da Aprosoja SC, Alexandre Alvadi di Domênico, o setor agrícola não apresenta rentabilidade compatível com este salto de 0 para 17% de ICMS e tal cobrança deve, no final da safra, representar aumento geral de até 12% no custo das lavouras desta próxima safra de verão.

Com a data para iniciar os trabalhos de semeadura chegando, a associação corre atrás do apoio de outras entidades e representantes governamentais para tentar reverter essa decisão e possibilitar mais segurança ao produtor rural catarinense.

De acordo com Domênico, essa situação pode reduzir área plantada nas próximas safras, aumentar a dependência de produtos vindos de outros estados e até mesmo aumentar o contrabando de defensivos via Argentina e Paraguai.

Confira a entrevista completa com o presidente da Aprosoja SC no vídeo.

0 comentário